Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Transporte por app e Zona Azul lideram PLs a serem votados pelos vereadores nesta 5º

Postado em: 11/09/2019

Compartilhe esta notícia:

Transporte por aplicativos e Zona Azul são temas de cinco dos nove projetos em pauta na 54ª sessão ordinária da Câmara, que será realizada na manhã desta quinta-feira (12) sob o comando do presidente da Casa, vereador Fernando Dini (MDB).

Após ser aprovado na última sessão, retorna à pauta para a segunda discussão o Projeto de Lei nº 232/2019, de autoria do vereador Péricles Régis (MDB), que altera a Lei nº 12.022/2019, que regulamenta a atividade do transporte de passageiros por aplicativos. Com o objetivo de adequar alguns dispositivos da referida legislação, o projeto recebeu três emendas, do próprio autor, que também foram aprovadas em primeira discussão.

A primeira mudança proposta pelo PL é quanto à apresentação de exame toxicológico do motorista no cadastramento e revogação da CNH (e não mais anualmente). O projeto também revoga o inciso II, do Art. 9º, que exige que o veículo utilizado tenha menos de oito anos de fabricação, e altera o inciso III, do mesmo artigo, prevendo que a vistoria anual do veículo seja realizada por órgãos credenciados, suspendendo a necessidade de inspeção do INMETRO. Esta última mudança está sendo excluída da proposta através de emenda. Outras duas emendas transferem para as operadoras do sistema a obrigatoriedade do seguro contra Acidentes Pessoais a Passageiros (APP).

Também de Péricles Régis e em segunda discussão o Projeto de Lei nº 260/2019 versa sobre a efetiva divulgação das pessoas jurídicas que se relacionam com o Município. Para tanto o projeto prevê a exposição do nome fantasia e CNPJ junto a razão social da pessoa jurídica de empresas privadas, ONGs, agências reguladoras e outros entes que têm vínculo com o Executivo. A medida vale para atos oficiais, documentos, peças publicitárias e qualquer outro caso onde seja citada a razão social. Para meios eletrônicos, o projeto determina ainda a inclusão de link para conferência de documentos e anexos.

Já o Projeto de Resolução nº 13/2019, de autoria da Mesa Diretora da Câmara, em segunda discussão, regulamenta a constituição das Comissões Especiais previstas no art. 60 da Resolução nº 322, de 18 de setembro de 2007 (Regimento Interno). O objetivo é atualizar a Resolução 319, que trata do tema, em vigência desde 2007.

Zona Azul

Completam a pauta desta quinta-feira, seis projetos em primeira discussão, sendo que quatro deles, em tramitação na Casa desde o ano passado, preveem isenções no serviço de estacionamento rotativo. Três dos projetos são de autoria do vereador Vitão do Cachorrão (MDB), começando pelo Projeto de Lei nº 87/2018, que isenta do pagamento de Zona Azul os veículos automotores de transporte escolar, devidamente registrados no Município de Sorocaba, para embarque e desembarque de alunos. O projeto ressalva que os referidos veículos só poderão estacionar sem a necessidade de pagamento da taxa de Zona Azul em vias ao redor de instituições de ensino, durante horários de entrada ou saída dos alunos, sendo vedada a permissão nos demais horários.

Já o Projeto de Lei nº 88/2018, isenta os idosos proprietários de veículos devidamente registrados no município. Segundo o projeto, os idosos deverão cadastrar-se junto ao órgão regulador, no caso, a Urbes, que expedirá o cartão de isenção, de uso pessoal e intransferível. E o Projeto de Lei nº 265/2018 prevê isenção de pagamento de estacionamento rotativo para comerciantes, mediante cadastro prévio junto à Urbes. Os projetos foram considerados inconstitucionais pela Comissão de Justiça por vício de iniciativa e receberam manifestações contrárias do Executivo, com base no posicionamento da Urbes.

Ainda sobre o tema, o Projeto de Lei nº 152/2018, do vereador Renan Santos (PCdoB), em primeira discussão, cria um cartão permanente gratuito para estacionamento rotativo, denominado Zona Azul, destinado a moradores e funcionários públicos com residência ou local de trabalho situados em áreas de estacionamento rotativo. A liberação do pagamento será restrita a um único endereço. Assim como as propostas de Vitão do Cachorrão, o projeto foi considerado inconstitucional pela Comissão de Justiça, por vício de iniciativa.

Empresa amiga

Ainda em primeira discussão o Projeto de Lei nº 08/2018, do vereador Hudson Pessini (MDB), institui o Programa Empresa Amiga da Educação, com o propósito de estimular as pessoas jurídicas a contribuírem para melhoria da qualidade do ensino na rede pública municipal. A participação das empresas no programa dar-se-á sob a forma de doações de materiais, uniformes, realização de obras de manutenção, conservação, reforma e ampliação dos prédios escolares ou de outras ações que visem beneficiar o ensino nas escolas municipais. A proposta recebeu parecer contrário da Comissão de Justiça, por vício de iniciativa, além de duas manifestações contrárias do Executivo, em resposta às oitivas.

Por fim, o Projeto de Lei nº 270/2019, do presidente Fernando Dini (MDB), altera a redação da ementa e do caput do art. 1° da Lei n° 10.830, de 20 de maio de 2014, que dispõe sobre a obrigatoriedade dos estabelecimentos de ensino municipal apresentarem, bimestralmente, relação dos alunos com faltas injustificadas ao conselho tutelar, Vara da Infância e Juventude Ministério Público e Comissão de Educação da Câmara. O projeto prevê o envio mensal da relação dos alunos com faltas injustificadas superiores a 30% – e não mais 50% – do permitido em lei. O objetivo é adequar a lei municipal à Lei Federal 13.803, de 10 de janeiro de 2019.

Já os projetos de lei de números 154/20192, 132/2019 e 226/2019, apesar de constarem da ordem do dia em segunda discussão, estão prejudicados, pois foram retirados de pauta na última sessão.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Einstein pede que médicos não prescrevam cloroquina a pacientes com Covid-19

Sorocaba registra 128 casos e 4 novas mortes por Covid-19 nas últimas 24h

Centrão gerencia distribuição de cargos do governo, e Bolsonaro inicia nomeações

Bolsonaro volta a defender remédios sem eficácia e cita "tratamento precoce" em caso de 2ª onda

Procon alerta sobre ação de falso fiscal vendendo exemplar do Código de Defesa do Consumidor

MPF recebe queixas em série contra nota do Enem, e governo teme processos