Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Sorocaba amanhece sem transporte público; impasse entre sindicato e Urbes continua

Foto: Agência Sorocaba
Postado em: 24/03/2020

Compartilhe esta notícia:

 

Sorocaba amanheceu sem transporte público nesta terça-feira (24). Conforme o sindicato dos Rodoviários, que representa os trabalhadores da categoria, funcionam apenas o transporte especial, em esquema de plantão, e fretamento e cargas. 


Segundo o sindicato, todo o restante da frota de transporte público municipal está com a atividade paralisada por conta do risco de contágio do coronavírus. A Prefeitura de Sorocaba, por meio da Urbes – Trânsito e Transportes e da Secretaria de Mobilidade e Desenvolvimento Estratégico (Semob), informou se posicionar "veementemente contra a paralisação imposta neste momento pelo sindicato".

 

A Urbes informou ao Ipa Online que as garagens da STU e Consor continuam fechadas pelo Sindicato. A Urbes aguarda a decisão do TRT quanto a ação que pede o restabelecimento de 70% da frota.


Tanto o sindicato quanto a Urbes dispararam notas oficiais, no fim da tarde desta segunda-feira. 


O sindicato alega que a entidade liberou o transporte para profissionais da saúde pública e da segurança pública e as empresas de transporte urbano de Sorocaba concordaram em manter esse serviço em funcionamento. 

Porém, até o presente momento, "a Urbes – Trânsito e Transportes e a Prefeitura Municipal de Sorocaba não liberam as empresas para atenderem a esses profissionais. Também não enviaram nenhuma informação para as empresas poderem definir itinerário e horários do transporte. Dessa forma, as empresas não podem colocar o transporte para os profissionais da saúde, pois podem receber multa administrativa".


Por sua vez, a Urbes informa que "ainda não recebeu nenhum pedido oficial do sindicato para adotar o sistema que estão chamando de "fretamento" para o transporte coletivo municipal. A Urbes reforça que o que se espera é a retomada urgente do transporte coletivo, em atendimento à toda a população que, nesta data, se viu sem como voltar para casa depois do expediente de trabalho e que amanhã, não poderá cumprir com suas obrigações, num momento tão crítico para toda a sociedade. 


Por conta disso, a Urbes e a Prefeitura ajuizaram ação com pedido liminar junto ao Tribunal Regional do Trabalho para manter a frota de 70% operando no sistema de transporte. Estamos aguardando a decisão, a fim de garantir o transporte, principalmente, àqueles que estão trabalhando na linha de frente para evitar a disseminação do vírus no município".

 

Funcionamento do transporte público

 

Sorocaba e Região


O Sindicato dos Rodoviários está em contato com as empresas para formular acordo em relação aos dias que os trabalhadores ficarão parados diante do coronavírus. Neste primeiro momento serão 15 dias, que poderão ser estendidos conforme se dará o quadro da pandemia em nossa região.


O Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região representa mais de 15 mil trabalhadores em transportes nos municípios das regiões de Sorocaba, São Roque, Itapetininga e Itapeva. Portanto, de Araçariguama até Itararé os transportes urbano, intermunicipal e rodoviário estarão suspensos pelos próximos 15 dias.

 

A Prefeitura de Sorocaba, por meio da Urbes – Trânsito e Transportes e da Secretaria de Mobilidade e Desenvolvimento Estratégico (Semob), informou se posicionar "veementemente contra a paralisação imposta neste momento pelo sindicato".




Transporte especial


O Sindicato dos Rodoviários informa que as empresas do transporte urbano de Sorocaba irão manter um plantão de motoristas e agentes de bordo para atender ao transporte especial, pois muitos usuários desse transporte precisam manter atividades médicas.


Fretamento e cargas


A decisão de paralisação não será aplicada aos setores de fretamento e de cargas. Fretamento porque é preciso levar os trabalhadores até as empresas que irão produzir, em especial, equipamentos e remédios para combater a pandemia. Cargas porque é necessário manter as cidades abastecidas de alimentos, remédios, água e combustíveis e manter a devida coleta de resíduos residenciais, hospitalares e industriais.


Nesses setores que permanecerão em operação, o Sindicato dos Rodoviários reforçou a determinação para as empresas liberarem os trabalhadores que fazem parte do grupo de risco, ou seja, trabalhadores a partir de 60 anos e com doenças respiratórias, cardíacas, renais, hipertensos e diabéticos. Assim como, seguindo orientações dos órgãos de saúde, é para liberar todos os trabalhadores que estiverem com qualquer sintoma de gripe.


Brasil


Considerando que o presidente do Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região preside também a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística, as decisões acima citadas serão estendidas a todo o Brasil, em todos os modais do transporte terrestre, aéreo, marítimo e sob trilhos.


Os sindicatos de todas as regiões do país já estão sendo notificados a tomarem essas mesmas decisões, com pequenas exceções que serão tratadas com as autoridades de cada setor, como o aéreo e o marítimo, por exemplo.

 

 

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Traficantes usavam botijões de gás para esconder drogas na Zona Leste

Transporte por app e Zona Azul lideram PLs a serem votados pelos vereadores nesta 5º

Secretário de Cultura, artistas e coletivos pedem emendas a vereadores na Câmara

Adolescente assume direção de veículo, causa acidente e atinge telhado de residência em Piedade

Polícia investiga igreja no Rio Grande do Sul que anunciou imunização contra Coronavírus

Senado se prepara para acompanhar debate de reforma na Câmara