Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Sob o Azul do Céu e a arte do perdão

Postado em: 10/04/2019

Compartilhe esta notícia:

width=1417

Por José Simões

O texto “Sob o Azul do Céu” foi escrito por Mario Pérsico há mais de 20 anos. Esta montagem seja talvez a mais longa produção sorocabana em cartaz na cidade.

A trama se constrói às voltas de um acerto de contas entre o pai e o filho. Nela o filho ausente retorna a casa logo após a morte da mãe. O tempo e o perdão são protagonistas.

O espetáculo se assemelha a um folhetim fundado no melodrama. Nele os ingredientes da trama são de fácil assimilação: sentimentalismo, linguagem despojada, mistérios, suspense, etc. Sempre com o objetivo de impressionar e comover o espectador.

Este gênero parece fácil, mas não é. É difícil ver um melodrama bem feito em cena. Isso porque sempre se corre o risco do exagero. A montagem de “Sob o azul do céu” mostra em cena um melodrama no fio da navalha. A um passo do exagero. É bem por isso, que mantem o espectador ligado na encenação.

Vale a pena conferir esta montagem da Cia Clássica de Repertório.

Serviço

Sob o Azul do Céu
Direção: Mario Pérsico
Atores: Mario Pérsico e Tiske Reis

Teatro Municipal Teotônio Vilela
Endereço: Avenida Eng. Carlos Reinaldo Mendes
Data: 11/04/2019 (Quinta-feira)
Horário: 20h30
Ingressos: R$ 30,00 e R$ 15,00

Jose Simões é professor, encenador e pesquisador na área da Educação, do Espaço Teatral e Teatro-Educação.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Dólar fecha acima de R$ 4 pela primeira vez desde 1º de outubro

Trio que roubava carros de motoristas de App é preso no Wanell Ville

Serpo realiza limpeza em áreas públicas na Vila Helena e Parque São Bento

Oficinas, espetáculos e discussão para os artistas e a população: intercâmbio de teatro entre Sorocaba e Rio de Janeiro

Governador João Doria decide afastar 38 PMs que participaram da ação em baile funk de Paraisópolis

Vídeo de ursos em penhasco gera debate sobre uso de drones na natureza