Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Sob o Azul do Céu e a arte do perdão

Postado em: 10/04/2019

Compartilhe esta notícia:

width=1417

Por José Simões

O texto “Sob o Azul do Céu” foi escrito por Mario Pérsico há mais de 20 anos. Esta montagem seja talvez a mais longa produção sorocabana em cartaz na cidade.

A trama se constrói às voltas de um acerto de contas entre o pai e o filho. Nela o filho ausente retorna a casa logo após a morte da mãe. O tempo e o perdão são protagonistas.

O espetáculo se assemelha a um folhetim fundado no melodrama. Nele os ingredientes da trama são de fácil assimilação: sentimentalismo, linguagem despojada, mistérios, suspense, etc. Sempre com o objetivo de impressionar e comover o espectador.

Este gênero parece fácil, mas não é. É difícil ver um melodrama bem feito em cena. Isso porque sempre se corre o risco do exagero. A montagem de “Sob o azul do céu” mostra em cena um melodrama no fio da navalha. A um passo do exagero. É bem por isso, que mantem o espectador ligado na encenação.

Vale a pena conferir esta montagem da Cia Clássica de Repertório.

Serviço

Sob o Azul do Céu
Direção: Mario Pérsico
Atores: Mario Pérsico e Tiske Reis

Teatro Municipal Teotônio Vilela
Endereço: Avenida Eng. Carlos Reinaldo Mendes
Data: 11/04/2019 (Quinta-feira)
Horário: 20h30
Ingressos: R$ 30,00 e R$ 15,00

Jose Simões é professor, encenador e pesquisador na área da Educação, do Espaço Teatral e Teatro-Educação.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Com voto de Barroso, Supremo interrompe julgamento sobre prisão após 2ª instância

Sorocaba inicia segunda fase da campanha de vacinação contra o sarampo

15 anos da PetitPoá

Ministro de Bolsonaro admite caixa dois da JBS e pagará R$ 189 mil para encerrar investigação

Uber se manifesta sobre caso de advogada estuprada após viagem a Votorantim

Ruas de terra do Iporanga II recebem resíduos asfálticos de obras do BRT