Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Servidor é ouvido em CP e diz: Taty Pólis não comandava ações na Prefeitura

Postado em: 12/06/2019

Compartilhe esta notícia:

A comissão processante que investiga denúncias de irregularidades envolvendo o prefeito José Crespo ouviu na tarde desta quarta-feira, 12, mais uma testemunha arrolada pela defesa: o servidor comissionado Raphael Pironi.

Respondendo a questionamentos dos advogados do prefeito e do presidente da comissão, vereador Silvano Junior (PV), o relator Hudson Pessini (MDB) e o membro Luis Santos (Pros), o depoente afirmou que Tatiane Polis não exercia cargo de comando na Prefeitura de Sorocaba no período em que atuou como voluntária. Pironi afirmou que a ex-assessora nunca interferiu em seu trabalho, não dava ordens a outros funcionários e que o prefeito José Crespo não a indicou para trabalhar com a empresa de propaganda DGentil.

Em relação a supostos pagamentos a Tatiane Polis, Raphael Pironi disse que nunca entregou nenhum envelope com dinheiro a ela e que não tem conhecimento de que isso tenha sido feito por outra pessoa. O depoente disse que a ex-assessora não tinha sala ou telefone na Prefeitura e afirmou que a viu poucas vezes no local.

Testemunhas faltantes – Também convocados para oitivas nesta quarta-feira, a servidora Jéssica Pedrosa e o secretário de Mobilidade e Acessibilidade, Luiz Alberto Fioravante, justificaram que não puderam comparecer por estarem em viagem fora do país. As oitivas com essas testemunhas foram remarcadas para o dia 26 de junho, às 14h.

Já o ex-diretor de área da Secretaria de Licitações e Contratos da Prefeitura de Sorocaba, João Batista Sigilló Pellegrini, apresentou atestado médico com prazo de 90 dias justificando sua ausência. A comissão processante irá solicitar providências da defesa do prefeito em relação à referida testemunha, já que ele não poderá comparecer antes do prazo de conclusão dos trabalhos.

Próximas oitivas – Nesta quinta-feira, 13, a partir das 14h, devem ser ouvidos pela comissão o Secretário de Comunicação, Gilberto de Camargo Antunes; a servidora Carolina Magoga; e o proprietário da empresa DGentil, Luis Carlos Navarro Lopez. Eles já haviam sido chamados para prestar depoimentos na semana passada, não compareceram e foram reconvocados pelos vereadores.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Mega-Sena acumula e vai pagar R$ 34 milhões na 4ªfeira

Dini será o novo presidente da Câmara; líder do PSD foi ‘fiador’ de acordo com Martinez

Aposentado não resiste aos ferimentos e morre após sofrer acidente de moto

Prefeitura cria Escuta Acolhedora para atender pessoas impactadas pela pandemia

CPI do Voluntariado ouve marido de Taty, braço-direito de Zuliani e dono de agência

Ônibus ganharam 270 mil passageiros no 1º dia da volta do rodízio em SP