Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

SBT é condenado por maus-tratos a cachorro em programa dominical na TV

Postado em: 30/03/2019

Compartilhe esta notícia:

Lívia Marra, FOLHAPRESS

O SBT foi condenado em segunda instância por maus-tratos contra um cachorro, durante programa.

Segundo o Ministério Público de São Paulo, que ajuizou ação, a emissora não poderá exibir em sua programação animais em situações abusivas, exceto reportagens de viés educativo. Em caso de descumprimento, a multa prevista é de R$ 200 mil.

No programa ‘Domingo Legal’, exibido em 2006, um pit bull precisou fazer grande esforço na tentativa de puxar veículo. A petição diz que o cão foi atrelado por cordas e, atiçado pelo dono, fez tentativas inúteis de mover o automóvel, de propriedade do SBT. “Após esforço descomunal, o veículo, cujo peso foi reforçado pela presença de uma pessoa que assumiu seu volante, saiu de sua inércia”, diz o documento.

A Promotoria argumentou que a cena configurava crime de maus-tratos, conforme lei federal, e que a legislação permite apenas a tração animal de veículo ou instrumento agrícola e industrial -mas não feita por cães.

Em primeira instância, a Justiça havia atendido a pedido da Promotoria para condenar a emissora também a exibir reportagem sobre maus-tratos e abusos contra animais, além de pagar R$ 200 mil ao Fundo Especial em Defesa dos Direitos Difusos.

O SBT recorreu, e essas determinações foram afastadas em segunda instância.

OUTRO LADO

Procurado pela reportagem, o SBT informou que já cumpre as determinações da Justiça.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Garoto de 16 anos confessa participação em roubo de loja no Jardim Santa Lúcia

Mostra informa sobre Lei Maria da Penha e a rede de proteção à mulher em Sorocaba

Cães eram preparados para briga com animais silvestres e anabolizantes

Guarda Civil Municipal prende dupla de traficantes no Júlio de Mesquita

Obras do BRT interditam avenida Itavuvu durante esta sexta-feira

Homem que fabricava e comercializava anabolizantes é preso após perseguição policial