Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Rede de voluntários distribui 75 toneladas de alimentos orgânicos na região de Sorocaba

Divulgação/Rede Solidária Sorocaba
Postado em: 10/05/2020

Compartilhe esta notícia:

A Rede Solidária Sorocaba vai distribuir 75 toneladas de alimentos orgânicos a famílias em situações de vulnerabilidade social da região de Sorocaba, afetadas pela pandemia do novo coronavírus.

Os alimentos foram produzidos por agricultores familiares no território da Mata Atlântica e transição com Cerrado. A maior parte dos itens é agroecológica.

A agência Ecomercado, empreendimento do Instituo AUÁ, aliada à Fundação Banco do Brasil e diversos parceiros, vai fornecer quatro mil cestas a serem doadas para essas famílias.

Em nota, a Rede Solidária Sorocaba explicou que a ação foi criada por conta das dificuldades de alguns produtores afetados pela pandemia e das famílias em situação de vulnerabilidade. 

De acordo com o grupo, essa distribuição permite que os produtores tenham opções para escoar os alimentos, além de de beneficiar pessoas que não têm o que comer.

O grupo destacou, também, que o alimento distribuído ainda auxilia a aumentar a imunidade dessas pessoas, o que pode evitar doenças.

Serão 18 pontos de entrega em nove municípios, com concentração de distribuição na região de Sorocaba, por meio do Banco de Alimento Sorocaba, localizado no Ceagesp e no Jardim Ângela em São Paulo.

A ação vai beneficiar diretamente 150 agricultores com produção em 22 munícipios, abrangendo os estados de São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul. Todas as movimentações da Rede são compostas por voluntários, que trabalham na logística, captação de recursos, comunicação e distribuição das cestas.

A ação começa nesta segunda-feira (11), quando os alimentos chegam ao Banco de Alimentos Sorocaba. As próximas etapas serão: a montagem das cestas, com a colaboração de diversos voluntários; e as entregas, junto ao Mesa Brasil Sesc  São Paulo, nos pontos de distribuição, que vão desde ONGs até Comunidades Indígenas.

Cada cesta será composta por Arroz, Feijão, Mandioca, Inhame, Farinha de Mandioca, Farinha de Milho, Cúrcuma e Gengibre, Banana, Abacate, Composto Lácteo e algumas frutas nativas da Mata Atlântica, como o Cambucci, Uvaia e a polpa do Açaí Jussara.

A Rede Solidária explicou que, apesar de as frutas serem desconhecidas do grande público, elas são ricas em nutrientes e vitaminas.

Junto das cestas, será entregue um informativo com orientações e sugestões de como consumir estas frutas, além de destacar os benefícios.

O grupo ressaltou que o consumo ajuda os agricultores rurais da região da Mata Atlântica, atores imprescindíveis na preservação da floresta que já tem mais de 90% da originalidade destruída.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Mulher sofre tentativa de estupro dentro de estabelecimento comercial

Bolsonaro conversará com Moro sobre vazamento de mensagens da Lava Jato

Arquidiocese de Sorocaba anuncia volta de missas, batismos e casamentos

Projeto quer buscar novas soluções para atrair passageiros ao transporte público

Funcionários do Saae encontram feto durante inspeção em estação de tratamento de esgoto

Votorantim confirma a 5ª morte de novo coronavírus