Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Projeto regulamenta utilização de cavalos em eventos esportivos e culturais

Postado em: 07/11/2018

Compartilhe esta notícia:

Cida Muniz

O vereador Luis Santos (PROS), apresentou um projeto de lei acrescentando um artigo a lei 8.354/2007, que dispões sobre o controle de populações animais, bem como sobre a prevenção e controle de zoonoses no Município de Sorocaba.

Na prática, o projeto regulamenta a utilização de cavalos em eventos esportivos e culturais em Sorocaba.

O projeto original conta com o artigo 37 que diz: “o uso de animais equinos para montaria ou tração deverá obedecer a critérios que não impliquem esforço exagerado por parte destes animais, a serem discriminados na regulamentação desta Lei”.

Santos, que teve o projeto deliberado na sessão de terça-feira (6), na verdade faz, praticamente, uma regulamentação do projeto, acrescentando o § 4º ao art. 37 da Lei nº 8.354, “permitindo a utilização de animais equinos para a prática de modalidade esportiva das seguintes modalidades: Marcha de Muares e Cavalos, Rédeas, Três Tambores, Apartação, Laço Comprido, Hipismo, Ranch Sorting, Turismo Equestre e Equoterapia”.

Em sua justificativa, Luis Santos afirma que o “projeto de lei tem o objetivo em especial de resgatar e valorizar o espírito do Tropeirismo em nossa cidade com a retomada das provas equestres, o que será absolutamente positivo para o Município com um impacto social, cultural e econômico”.

Sérgio Renato Monteiro, presidente do Comtur (Conselho Municipal de Turismo), quer instituir em Sorocaba a Semana do Cavalo e Muares, com provas autorizadas que não prejudiquem os animais, visando unir os haras que existem na região, tendo, inclusive, uma praça de alimentação, o que movimentaria criadores, mas, o mais importante, resgataria o tropeirismo na região.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

3º Encontro de Bandas Regimentais de Música da Polícia Militar do Estado de São Paulo

Não se torne aquilo que te feriu

MP recebe denúncia de que Crespo teria favorecido empresa com verba pública

Idebras e Acione atuam nos direitos coletivos e difusos da sociedade

CPI do Falso Voluntariado tenta, pela 3ª vez, ouvir o marido de Taty Pólis nesta 3ª

Tribunal ignora STF, condena Lula e amplia pena em caso do sítio de Atibaia