Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Presidente da CPI cita supostas “ações criminosas” e “mau uso de recurso” no Governo Crespo

Postado em: 22/04/2019

Compartilhe esta notícia:

As vereadoras Iara Bernardi (PT) e Fernanda Garcia (PSOL), presidente e relatora do CPI do Falso Voluntariado, foram entrevistadas nesta manhã de segunda-feira (22), no Jornal da Ipanema, da Rádio Ipanema.

Durante a entrevista, Iara citou “mau uso do recurso público e ações criminosas” supostamente cometidas no Governo Crespo. “Estamos debatendo crimes, irregularidades, desvios. A cidade elegeu e aguenta um presidente, como deputados e prefeito ineficientes”, exclamou.

Cobrada pela população da cassação do prefeito, ela rebateu: “não posso cassar o prefeito pela incompetência dele. Precisamos seguir os ritos, dentro da lei, para que ele não volte novamente. Precisamos comprovar crime”, afirmou.

Já Fernanda declarou que, antes de entrar com pedido de Comissão Processante (que tem o poder de cassar o mandato do prefeito), quer “qualidade material, com embasamento” para que não haja possibilidade de o prefeito José Crespo (DEM) retornar à prefeitura por meio da Justiça. “Não adianta fazer toda a movimentação e não adiantar de nada”, disse a relatora. “O governo Crespo gerou instabilidade no início, ano passado e neste ano temos esse caos novamente”, completou. “Minha preocupação como relatora é a qualificação do documento para não haver brecha”.

Uma reunião a ser realizada ainda nesta semana pelas integrantes da CPI deve decidir pela elaboração do relatório parcial e encaminhamento à Polícia Civil e Ministério Público.

Sobre Tatiane Polis, relembrando a CPI do Falso Diploma, Iara ironizou o fato saber que a voluntária, mesmo sem comprovação de ensino médio, faz atualmente pós-graduação “Ela me disse na CPI que está fazendo pós. Ela não tem nem ensino fundamental [completo]. O diploma de ensino médio não é válido e ela está fazendo pós. Como o Brasil evoluiu, não?”.

Ainda, a presidente afirmou ter recebido em sua CPI três documentos distintos, com informações divergentes, sobre o voluntariado de Taty Polis ao prefeito.

As vereadoras declararam considerar “peça-chave” para revelar os esquemas do Governo Crespo o depoimento do ex-secretário de Comunicação Eloy de Oliveira à Polícia Civil, inclusive revelando os e-mails indicando o poder que a voluntária Tatiane Polis tinha na prefeitura. O documento foi encaminhado à CPI por meio do advogado de Eloy, Lucas Del Campo. “Ele ratificou o depoimento dele. Está se sentindo ameaçado e caluniado”, relatou Fernanda.

Já Iara relembrou o depoimento de Ricardo Mari, publicitário ex-assessor comissionado da Secretaria de Comunicação e Eventos (Secom), que também prestou depoimento à Polícia e revelou uma relação de 56 notas de serviços que não tinham comprovação de realização.

O contrato de R$ 20 milhões junto à empresa DGentil, que era de fiscalização da Secom, depois passou para Carlos Mendonça, chefe de Gabinete, conhecido pelo infame episódio da coxinha.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Servidores da prefeitura prestaram depoimentos na CPI do Falso Voluntariado

Corregedoria irá apurar indícios de uso de atestados falsos por servidores

Jaqueline determina que igrejas só podem voltar com 30% da capacidade

Sorocaba completa dois dias consecutivos sem novas mortes da Covid-19

Linhas de ônibus ganham reforço e terminal Municipal passa a funcionar até as 23 horas

MEC anula questão de matemática do Enem 2018 por ser repetida