Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Prefeitura se reúne com comerciantes para ouvir demandas na avenida Itavuvu

Foto: Agência Sorocaba
Postado em: 26/10/2019

Compartilhe esta notícia:

A Prefeitura de Sorocaba se reuniu com comerciantes da Zona Norte da cidade na manhã desta sexta-feira (25) para ouvir demandas e dúvidas referentes às obras realizadas na Avenida Itavuvu por conta da implantação do sistema BRT. Márcio Rogério Dias, secretário de Gabinete Central, representou a prefeita de Sorocaba, Jaqueline Coutinho. O diretor-presidente da Urbes – Trânsito e Transportes, Sergio Pires, e o secretário de Mobilidade e Acessibilidade, Gilmar Tadeu Ribeiro Alves, também participaram da reunião, assim como dois vereadores (Rodrigo Manga e Vitão do Cachorrão) estiveram presentes. “Temos um carinho gigante pela Zona Norte, região que gera inúmeros empregos e onde moram milhares de famílias. O Gabinete Central da Prefeitura está de portas abertas para receber cada um de vocês, conforme determinação da prefeita”, antecipou Márcio Dias já no início da reunião.

Entre as solicitações feitas pelos comerciantes, entre eles o dono da Havan, Luciano Hang, foi que a obra aconteça 24 horas por dia, a fim de ser finalizada o quanto antes. Para esse pedido em especial, o gerente de obras da Concessionária BRT Sorocaba, engenheiro Rodrigo Martins, reforçou que o trabalho já acontece diuturnamente e que, com o avançar das obras, haverá aumento no número de funcionários em operação. O engenheiro explicou que o maior impedimento de ter mais frentes de trabalho em operação durante a madrugada ou aos domingos é não ter fornecedores de insumos disponíveis nesse período. “Por isso, durante a noite os trabalhadores fazem outras tarefas que não dependem diretamente de materiais. Nós somos os maiores interessados em entregar a obra o quanto antes e gerar receita, pois até o momento houve somente investimento, sem retorno financeiro à concessão”, disse.

Sergio Pires reforçou que a obra já está liberada para acontecer 24 horas por dia e que o cronograma da obra está sendo cumprido. “Trata-se de uma concessão pública precedida por obra e com financiamento privado, algo inédito no Brasil. Dentro do que está assinado em contrato, o que é pactuado é cumprido ou analisado caso a caso”, destacou.

Ao ser questionado sobre as intervenções realizadas na Zona Sul, Pires disse que não há diferença entre o ritmo das obras em relação à Zona Norte. “São intervenções diferentes, com outras frentes de trabalho e de complexidades díspares”, esclareceu o diretor-presidente.

Outras reuniões já foram realizadas

Gilmar Tadeu Ribeiro Alves relembrou que outras reuniões com comerciantes já foram realizadas e que houve também audiências públicas na Câmara de Sorocaba para esmiuçar o projeto e cronograma de trabalho. Dúvidas levantadas na reunião desta sexta-feira (25), inclusive, que já haviam sido respondidas em outras ocasiões.

Os comerciantes solicitaram que haja liberação para que a carga e descarga de mercadorias seja feita na própria avenida, respondido pelo poder público que há, sim, bom-senso para que os comerciantes não sejam prejudicados, sem também que haja prejuízos à trafegabilidade na via.

De acordo com a Urbes, o compromisso é fazer cumprir os prazos da obra, dar maior celeridade aos trabalhos, melhorar a fluidez no trânsito e reduzir os impactos negativos causados, como por exemplo, a liberação antecipada dos primeiros cruzamentos da Avenida Itavuvu, para contribuir com o acesso às escolas.

Chega de publicidade negativa

Os comerciantes destacaram que estão cansados da publicidade negativa gerada por pessoas que nem estão acompanhando de perto a obra e insistem em dizer que a Avenida Itavuvu está parada. “A avenida não está parada! É possível circular nela. Esse tipo de comentário nos prejudica e afasta nossos clientes”, asseverou um deles.

Duas faixas para os veículos leves

O representante da Concessionária BRT Sorocaba esclareceu que os veículos leves usarão duas faixas de circulação, que terão todo o pavimento recuperado ao longo da avenida.

Os ônibus circularão no pavimento de concreto rígido, que hoje está sendo feito e demanda de tempo para a secagem. “Se liberarmos a circulação antes da cura, ele pode quebrar e comprometer a qualidade do sistema”, esclareceu.

Mais segurança para a região

Antes do encerramento da reunião, o secretário de Gabinete Central informou, em primeira mão ao grupo de empresários, que a Polícia Militar irá se instalar uma base na região da Avenida Itavuvu, comemorado com palmas pelos presentes.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Avenida Dom Aguirre terá trecho interditado nesta sexta-feira para recape

Use seu tempo livre de forma inteligente

Jaqueline se reúne com Central Única de Favelas e vislumbra parceria com a entidade

Guarda humilhado por desembargador diz que filha chorou com vídeo: ‘Como explico?’

Obra do BRT atinge estoura tubulação na avenida Ipanema e interrompe abastecimento de água na Zona Norte

GCM detém homem com drogas em frente a escola do Parque São Bento