Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Prefeita assina convênio de R$ 216 mil com o Momunes para criação das Repúblicas Jovens

Agência Sorocaba
Postado em: 23/07/2020

Compartilhe esta notícia:

A prefeita Jaqueline Coutinho e a presidente do Movimento de Mulheres Negras de Sorocaba (Momunes), Mazé Lima, assinaram nesta quinta-feira (23) o convênio de R$ 216 mil ao ano para a implantação de duas Repúblicas Jovens em Sorocaba. O programa permite o acolhimento de jovens saídos de instituições de cuidado com crianças e adolescentes e que completam a maioridade. Atualmente cabe ao Serviço de Acolhimento para Crianças e Adolescentes (Saica) receber esse público.  

Jaqueline Coutinho reiterou sua preocupação com um “olhar social” na atenção aos jovens. “Temos que dar uma perspectiva para esses jovens que cresceram fora do convívio familiar”, disse destacando que o trabalho da Secretaria da Cidadania (Secid) foi fundamental para a efetivação do programa em Sorocaba.

De acordo com o titular da pasta, Paulo Henrique Soranz, a ideia da instituição das repúblicas já existia, mas havia sido interrompida. O trabalho para sua efetiva instalação de deu, novamente, na atual gestão municipal.

Pela proposta, os jovens poderão ficar nos espaços até conseguirem sustento próprio que lhes permita autonomia. Segundo Mazé Lima, rapazes e garotas poderão usar dos espaços levando uma vida normal, com independência e seus afazeres diárias. Além disso, terão liberdade para entrar e sair da República. 

A presidente do Momunes aproveitou para pedir à prefeita que estabeleça uma parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo (Sedettur) para que os assistidos consigam emprego. Jaqueline Coutinho assentiu e se comprometeu a entrar em contato com a pasta para viabilizar essa necessidade.

Estrutura  

O programa também já ganha a parceria do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente (CMDCA) que doará R$ 25 mil para a estruturação das duas repúblicas que serão instaladas na rua Imperatriz Leopoldina, na Vila Jardini. Uma será destinada a mulheres e a outro a homens. A presidente do CMDCA, Angélica Lacerda Cardoso, também se comprometeu a viabilizar cursos profissionalizantes aos jovens.

As repúblicas funcionarão 24 horas por dia, 7 dias por semana, sem distinção entre dias úteis, fins de semana, feriados e pontos facultativos. Serão disponibilizadas 12 vagas no total; 6 para cada unidade. O contrato terá vigência de doze meses e pode ser prorrogado pelo mesmo período da vigência inicial, ou em frações desta, uma ou mais vezes, desde que o período total de vigência não exceda cinco anos.

“Os jovens quando completam 18 anos são obrigados a deixar a instituição na qual, na maioria das vezes, passaram sua infância e adolescência. Muitos precisam de ajuda para conseguir o primeiro emprego, sendo de suma importância acolhê-los nesse momento importante da vida, para que sigam seus estudos e possam ter um emprego que lhes garanta viver com dignidade”, comentou Paulo Soranz.

A Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria da Cidadania, pagará ao Momunes R$ 1.500,00 mensais por acolhido. Totalizando R$ 18 mil ao mês e R$ 216 mil ao ano. A entidade deverá ter no rol de funcionários um coordenador, um assistente social e um psicólogo.

Segundo a chefe da Divisão de Proteção Social Especial, Fabiana Machado Corrêa, em poucos dias técnicos de Itapetininga e Campinas, cidades que já possuem a República Jovem, virão a Sorocaba para dar um treinamento aos profissionais do Momunes que atenderão aos jovens.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Polícia Civil investiga incêndio que deixou feridos; quatro seguem internados

Saae diz que “monitoramento garante a qualidade da água de Sorocaba”

Criminosos fortemente armados atacam carro-forte durante tentativa de assalto

Mandetta admite que pode ser candidato a presidente em 2022 e prega "revolução"

Manifestantes realizam ato na praça contra cortes na Educação

Mãe tenta levar maconha para filho na cadeia e acaba detida também