Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Pré-candidato a prefeito, Raul Marcelo diz que Sorocaba está um "caos administrativo"

Foto: reprodução
Postado em: 04/08/2020

Compartilhe esta notícia:

A Jovem Pan Sorocaba iniciou, nesta terça-feira (4), uma série de entrevistas com os pré-candidatos a prefeito de Sorocaba. 


O segundo entrevistado é o advogado Raul Marcelo (PSOL). 


Raul respondeu a perguntas e apresentou propostas durante a entrevista de 20 minutos, mediada pelo apresentador do Jornal da Manhã, José Roberto Ercolin.  


Confira abaixo a transcrição da entrevista 

 

José Roberto Ercolin: Raul, você que está indo pela quarta vez com uma pré-candidatura a prefeito de Sorocaba, qual o principal desafio para o próximo prefeito?


Raul Marcelo: disputei a eleição em outros momentos que a situação de Sorocaba estava em outro patamar. Quando as pessoas tinham emprego, a economia crescendo. Sorocaba chegou a crescer 10% ao ano. Foi há um bom tempo atrás, sobretudo entre o final do primeiro mandato do Lula e o segundo mandato dele. Muitos investimentos acontecendo, investimentos inclusive internacionais, como no caso da Toyota. De fato, numa situação como essa, o orçamento cresce e isso viabiliza propor investimentos em áreas sociais e de obras públicas. Agora, a situação dos últimos anos, especialmente dessa eleição, o cenário é diferente e muito adverso. Vamos ter de debater urgentemente a necessidade de recompor a situação fiscal de Sorocaba ano que vem. Para os mais otimistas a perda de arrecadação pode ser de R$ 100 milhões e os mais pessimistas pode chegar a R$ 300 milhões. Isso em um nível nacional,. Pouco recurso para investir. Quebradeira geral em Sorocaba de 55 mil empresas, 99% são microempresas, que não têm fluxo de caixa, não têm acesso ao BNDES, aos grandes bancos e, por conta disso, fecharam as portas na crise. A ausência de política de crédito. É um cenário muito dificil. 

 

Temos um cenário típico de terra arrasada. Tivemos 4 prefeitos nos 4 últimos anos. Prefeito acusado de chefiar quadrilha, cassado várias vezes, descontinuidade administrativa. Entra e sai de secretários. Acompanho a vida pública de sorocaba desde o governo Paulo Mendes. Não me lembro, talvez no período militar tenha tido uma situação parecida. Quase em todas as áreas houve cerca de 10 secretários diferentes. É uma situação de caos administrativa generalizada. 

 

A pandemia pegou uma cidade bem castigada do ponto administrativo, com ausência de projetos e escândalos de corrupção. Inclusive, no enfrentamento à pandemia, demoraram demais, erraram muito em várias questões importantes, no caso de assintomáticos. A cidade tem uma queda de arrecadação, quebra generalizada e um quadro de desemprego aberto enorme para o ano que vem. Resolver o problema da alimentação talvez seja uma das prioridades ano que vem, para ver o tamanho do problema.

 

Sem contar o esgarçamento do SUS, tem pouca gente falando, mas eu converso com pessoas da área da saúde e o drama é o seguinte: todas as demandas em saúde, como cirurgias eletivas, foram represadas para o atendimento do coronavírus. Já tínhamos fila na saúde, imagine agora. É algo que vamos enfrentar ano que vem.

 


Ercolin: como você se prepara para as eleições com uso das redes sociais e em meio à pandemia do novo coronavírus? 

 


Raul: carrego para mim uma lição da eleição passada, quando perdemos para o grupo do Crespo. Achei que as pessoas conheciam a história do Crespo, as coisas que ele tinha feito. Acabei que não esclareci como deveria. Que nem, por exemplo, aquele vídeo do Crespo dando pontapés no ex-secretário de Educação Flaviano [Lima], na escola municipal, muita gente queria que eu colocasse aquilo na televisão para a população saber quem era ele, que depois se repetiu com a Jaqueline depois na prefeitura. E eu segurei e disse: ´não, pessoal, o cidadão sorocabano já está sabendo disso, assiste jornal, acompanha as rádios, não precisa´. E me penitencio até hoje por isso, pois muita gente comprou gato por lebre. Agora, nessa eleição, vou dizer para você, não vai passar nada. Ninguém vai enganar a população se depender do Raul. Nós vamos escancarar tudo, seja na rede social, na televisão ou no rádio. Já vou avisando aqui, os meus adversários, no processo eleitoral, o debate vai ser de alto nível. Vamos discutir tudo nessas eleições.

 

As redes sociais são importantes para esclarecer. A fake news é um problema grave nas redes sociais, a pessoa solta uma coisa e você não tem um jornalista para fazer a triagem e estabelecer o compromisso ético daquilo que está circulando. Há muita gente soltando muita matéria, nas redes sociais, sem critério nenhum e acaba disseminando fake news. Teve uma fake news grave em Sorocaba, na Santa Casa, que piorou o combate de coronavírus na cidade. Um político foi na Santa Casa e disse que o coronavírus era fake news, dizendo que não havia leitos ocupados lá. As pessoas acharam que não tinha problema [de coronavírus], passaram a nem usar máscara. E vimos o índice de contágio crescer e o quadro que temos hoje é que batemos mais de 11 mil contaminados, com 251 mortos. Olha como as fake news podem matar as pessoas. Teremos um trabalho de fiscalização para que a disseminação de fake news não aconteça nesse processo eleitoral. Se depender da minha parte, até proponho aos outros pré-candidatos, um acordo político para não disseminar fake news. Mas sabemos que tem alguns que sabemos que vivem de fake news, aí não tem jeito, né. 

 


Ercolin: Podemos ter uma campanha apimentada, então? Você está ameaçando?


 

Raul: na eleição passada entrei com mais de 100 processos contra. Na eleição passada eu fui com a Polícia Federal no escritório do Crespo pegar 40 mil panfletos dizendo que eu ia distribuir maconha nas escolas. Um escândalo isso. Até hoje esse processo está rolando. Esse pessoal aí, na reta final, não tem ética nenhuma, não mede esforços. Imagine o que vai ser do governo. Foi que aconteceu na cidade, denunciado no Ministério Público por chefiar quadrilha. O que depender do Raul, vou entrar com ação na Justiça. Sou advogado, tenho obrigação de fazer isso. A pessoa tem de ver a biografia do candidato, ver o que fez ou não fez. A gente tem ideia de que as pessoas estão acompanhando a política, mas não estão. Acaba a eleição e os gatos viram pardos. Na eleição passada eu tiro a lição de que deveria ter esclarecido mais como é o comportamento político do Crespo e repercussão política disso. Uma pessoa que troca soco e pontapé com secretário de Educação dentro da escola, caso do Crespo, imagine o que vai acontecer na prefeitura e foi dito e feito. Deu no que deu. A população tem o direito de saber dessas coisas. 

 

Não é uma escolha qualquer. As pessoas morrem por causa da política. Estamos com 251 óbitos por causa da falta de gestão de enfrentamento ao coronavírus. Você vai me falar: ´o coronavírus tá grave no Brasil inteiro´. Mas tem município que está com a situação bem melhor. Em Araraquara tem o menor índice de letalidade (0,9%) e ocupação de leitos e pessoas contaminadas. Há lugar que teve gestão, preocupação, que a coisa foi tratada com seriedade. A política é médico no posto de saúde, aluno alfabetizado, professor bem treinado, segurança pública em dia, economia crescendo. 


Nessa eleição, se depender do Raul Marcelo, o esclarecimento vai ser total. E vou combater as fake news para que tenhamos um debate de qualidade. 

 

Ercolin: A união com o PT, com Paulo Estáusia seu candidato a vice-prefeito, ajudará a trazer dinheiro para sua campanha? 


Raul: disputo eleições há muito tempo e sempre são campanhas baratas, pode qualquer um checar. Você faz campanha com financiamento e o pessoal financia e depois querem pegar contratos e você fica com o famoso ´rabo preso´. Já foi liberada a arrecadação financeira. Minha campanha vai ser muito humilde, de internet. O que vier de recurso será do fundo partidário. Na [eleição] passada gastei pouco e a tendência nessa é gastar pouco também para depois ter um governo com interesse público. Para depois não ser acusado pelo Ministério Público com problemas do ponto de vista de gestão pública. Tenho 20 anos de vida pública e nenhum processo e quero continuar nessa linha. Mais importante do que ganhar a eleição é governar com tranquilidade e com a participação da população. Quando a pessoa usa muito dinheiro na campanha, fica comprometida de tal forma que não se consegue abrir orçamento para que a população possa participar da gestão. É algo que eu quero inverter, quero abrir as finanças da cidade para que o povo possa assumir as rédeas da condução do governo local. Isso ajuda demais a administração pública. A participação da população pode ser decisiva para sairmos dessa crise econômica que enfrentamos nesse momento.  
 

Ercolin: Caso candidato, por que o eleitor deve votar em você?

 

Raul: Perdemos a última eleição, estamos tentando há várias eleições, agora é hora de a população de Sorocaba nos dar uma oportunidade para fazer diferente. Na última bateu na trave, a população elegeu o Crespo. Viu o que deu. Eu já estava dizendo isso há quatro anos atrás. Acho que tá na hora de dar um novo rumo, administração democrática, colocar a saúde em primeiro plano, ter um prefeito preocupado com a vida da população.

 

Assista a partir de 1h40m00 - https://www.facebook.com/portalipaonline/videos/4271626636244688/

 

 

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Tristeza no Jornalismo: Boechat que fazia a notícia, agora é a notícia

`Homem-Pateta´ é preso em Sorocaba; criminoso é adolescente morador da Zona Norte

Homem é preso após tentar matar ex-mulher a facadas em ônibus escolar

Polícia Civil investiga morte de mulher que caiu do 6º andar de prédio em Votorantim

Câmara aprova indenização de R$ 50 mil para profissional da saúde afetado pela Covid-19

Prefeitura anuncia que deve realizar consulta pública sobre Escolas Cívico-Militares após pandemia