Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

DIG prende pedreiro acusado de matar PM em crime passional em Araraquara

Postado em: 05/06/2019

Compartilhe esta notícia:

Alfredo Henrique, FOLHAPRESS

A polícia prendeu na manhã desta quarta-feira (5) o pedreiro acusado de matar a marretadas o policial militar Elias Matias Ribeiro, 49 anos. O corpo do policial foi encontrado carbonizado, dentro do próprio carro na terça-feira (4), na zona rural de Araraquara (273 km de SP), onde a vítima morava e trabalhava. Segundo a DIG (Delegacia de Investigações Gerais), o crime ocorreu por motivos passionais.

O delegado Fernando Bravo afirmou que o pedreiro, de 53 anos, estava escondido na casa de um parente, no bairro Jardim Cruzeiro do Sul. “Investigamos o paradeiro dele, até que o encontramos por volta das 10h. Ele admitiu o crime após ser detido”.

Após ser preso, o pedreiro alegou aos policiais que matou o cabo da PM, com cinco marretadas na cabeça, após uma sobrinha, de 40 anos, afirmar a ele que o policial havia tido um relacionamento com uma das duas filhas da mulher, que seria amante do policial. “Ela soube sobre o caso, após ver um vídeo dele [PM] com uma das filhas durante momento íntimo”, explicou o delegado.

Ribeiro foi atraído para a casa da mulher de 40 anos, onde dormiu no sofá. Neste momento, o pedreiro o matou, segundo a policia. A arma usada no crime, uma marreta de aproximadamente cinco quilos, foi apreendida.

Após o homicídio, o corpo do policial foi levado até um canavial, dentro do carro de outra filha da mulher de 40 anos. O veículo do PM também foi conduzido à área rural, onde foi incendiado, com o corpo do policial dentro.

O corpo do PM foi encaminhado à capital para identificação, por conta de ter sido encontrado carbonizado. No entanto, dentro do carro do policial foram encontrados objetos pessoais e de trabalho, que endossam que o corpo de fato é do cabo Ribeiro.

A Justiça decretou a prisão temporária, de 30 dias, do pedreiro, da mulher de 40 anos e da filha que ajudou no crime, de 22 anos. A outra parente não foi indiciada pelo crime.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Sargento da FAB preso com cocaína pode receber duas visitas por semana na cadeia

Moro nega ‘anormalidade ou direcionamento’ em troca de mensagens com Dallagnol

Mês de prevenção do suicídio traz ainda ideias erradas sobre tema

Fábrica da Toyota anuncia férias coletivas de 10 dias a partir de terça-feira em Sorocaba

Secretaria do Meio Ambiente abre inscrição para castração gratuita de cães e gatos

Vereador Luis Santos permanece internado na UTI com Covid-19