Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

PM de folga é morto a tiros após briga em bar

Postado em: 06/05/2019

Compartilhe esta notícia:

Alfredo Henrique, FOLHAPRESS

Um policial militar de folga morreu após ser baleado no rosto, com a própria arma, na tarde deste domingo (05), no Jardim São Luís, na zona sul de SP. Esta é a segunda morte de PM ocorrida em dois dias na zona sul de São Paulo.

Segundo a PM, o soldado Fábio de Oliveira Silva, 40 anos, se envolveu em uma briga em um bar na rua Joaquim Dias. Durante a confusão, ele baleou dois homens, um na mão e outro na perna.

Segundo a SSP (Secretaria da Segurança Pública), sob a gestão João Doria (PSDB), os dois feridos “tentaram desarmar o policial de folga durante uma discussão”. As circunstâncias em que a briga começou ainda são apuradas pela Polícia Civil.

Enquanto os dois suspeitos eram socorridos, ainda segundo a polícia, o soldado foi desarmado e levado para uma viela, onde foi baleado no rosto, com a própria arma. O número de pessoas que desarmaram o policial também é apurado. A pistola calibre ponto 40 do soldado foi levada e, até a conclusão desta edição, não havia sido recuperada.

O soldado chegou a ser levado ao pronto-socorro do Hospital do Campo Limpo (zona sul), mas morreu.

Os dois homens feridos também foram socorridos no mesmo hospital. O estado de saúde deles não havia sido informado.

Fábio Oliveira da Silva era soldado do 1º Batalhão da PM. Estava na corporação havia cerca de nove anos. Ele deixa três filhos. Ele faria aniversário amanhã, segundo informado pela comunicação da PM.

Além do soldado, um cabo da Rota (Rodas Ostensivas Tobias de Aguiar) foi morto com 30 tiros, no sábado (4), em Interlagos (zona sul).

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Manga: entidade que gerencia duas UPHs seria presidida por uma ‘cabeleireira’

Orçamento 2020: vereadores aprovam redução de valor para Saúde e aumento para Educação

Polícia de SP combate exploração sexual contra crianças na internet

Estudante invade escola armado e fere dois colegas em Minas Gerais

Promotoria ignorou eventuais adulterações no sistema de portaria

Prefeitura cria Escuta Acolhedora para atender pessoas impactadas pela pandemia