Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Padre Flávio condena pronunciamento de Bolsonaro e dispara: "palavras irresponsáveis"

Foto: Agência Sorocaba
Postado em: 26/03/2020

Compartilhe esta notícia:

O gestor da Irmandade Santa Casa Misericórdia de Sorocaba, padre Flávio Jorge Miguel Júnior, criticou o pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro, feito em rede nacional na última terça-feira (24), no qual o chefe do Executivo pede isolamento parcial da população diante da pandemia de coronavírus.

 

Em tom de perplexidade, o padre, diferentemente do presidente, defende a continuidade do isolamento da população para evitar propagação da doença.


O discurso do padre foi feito durante esta quinta-feira (26), durante entrevista ao vivo por telefone no Jornal da Manhã, da Jovem Pan Sorocaba. 


"Eu o ouvi com muita indignação e perplexidade. As palavras de uma autoridade, pessoa pública, devem ser comedidas. É diferente falar em um churrasco, pizzaria e em rede nacional.  As palavras [do presidente] são irresponsáveis. Logicamente que o Brasil não pode parar, tem de crescer. Mas há um equívoco grave de que tem de ter uma quarentena horizontal", opinou. 

O gestor da Santa Casa defendeu o cuidado com os idosos e ação de quarentena para evitar o contágio do Covid-19. "Só na cidade de são paulo há 4 milhões de idosos. sorocaba deve ter aproximadamente de 130 mil a 160 mil idosos. Não há como ter leitos para atender uma massa tão grande de pacientes". 


Já quanto ao atendimento no hospital, o padre informou que estão sendo preparados leitos para atender especificamente pacientes com coronavírus. Eles devem ficar prontos semana que vem. 

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Twitter apaga, pela 1ª vez, postagens feitas pelo presidente

Morador de rua é preso em flagrante por furto ao invadir estacionamento no Centro

Rapaz de 30 anos morre após colidir carro em barranco no Éden

Unimed Sorocaba é eleita como a melhor cooperativa médica para se trabalhar no Brasil

PA do Laranjeiras volta a registrar confusão entre munícipes e Guarda Municipal

Bolsonaro admite falta de apoio popular para determinar agora a reabertura do comércio