Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Órgãos de menina que morreu engasgada com caroço de fruta podem ajudar a salvar outras crianças

Postado em: 18/11/2019

Compartilhe esta notícia:

 

Os órgãos da menina de 1 ano e cinco meses, que morreu durante o fim de semana depois ficar internada por 10 dias após engasgar com caroço de fruta em uma creche municipal, estarão disponíveis para ajudar a salvar a vida de outras crianças. Isto, porque a família da garota optou pela doação, informou o hospital Gpaci, unidade em que a garota estava.

 

Conforme nota atualizada do Gpaci, divulgada nesta manhã de segunda-feira (18), a criança evoluiu para morte encefálica. O quadro foi diagnosticado e fechado no último sábado (16), atendendo a todos os protocolos médicos e legais. "Os pais optaram pela doação de órgãos da menor e a captação foi realizada no domingo, na própria unidade de saúde, pela equipe da Organização de Procura de Órgãos e Tecidos (OPO)", informou o hospital. 

 

A criança morreu na noite de sábado (20). A menina estava internada no Gpaci e o velório ocorre na Ofebas, no bairro Santa Rosália. O enterro está previsto para 10 horas desta segunda-feira, no cemitério da Consolação.

 

A menina engasgou com um caroço de jabuticaba durante atividade pedagógica no Centro de Educação Infantil 98 (CEI Olinda Luz Marthe), localizada no Jardim Tropical, Zona Oeste de Sorocaba, em 6 de novembro. De acordo com informações da Secretaria de Educação (Sedu), ela estudava no período integral da unidade e o incidente ocorreu à tarde. 

 

A menina permaneceu sem oxigenação por cerca de 20 minutos e foi socorrrida por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), onde chegou a ser reanimada. Ela foi internada no Hospital Gpaci e, de acordo com o setor da Unidade de Terapia Intensiva Infantil (UTI), o estado de saúde dela era "considerado grave".

 

Doação de órgãos

Quando a família autoriza a doação, a Organização de Procura de Órgãos e Tecidos (OPO) informa a viabilidade do doador à Central de Notificação Captação e Distribuição de Órgãos e Tecidos (CNCDO), que realiza a distribuição dos órgãos, indicando a equipe transplantadora responsável pela retirada e implante do mesmo.


A Organização de Procura de Órgãos e Tecidos (OPO) tem o papel de coordenação supra-hospitalar, responsável por organizar e apoiar, no âmbito de sua atuação e em conformidade com o estabelecido no Regulamento Técnico do Sistema Nacional de Transplantes, as atividades relacionadas ao processo de doação de órgãos e tecidos, a manutenção de possível doador, a identificação e a busca de soluções para as fragilidades do processo, a construção de parcerias, o desenvolvimento de atividades de trabalho e a capacitação para identificação e efetivação da doação de órgãos ou tecidos.


A OPO tem como objetivo exercer atividades de identificação, manutenção e captação de potenciais doadores para fins de transplantes de órgãos e tecidos no âmbito de sua atuação. Também divulga a política de transplantes de modo a conscientizar progressivamente a comunidade sobre sua importância, e tem interação permanente com as áreas potenciais de doação e equipes de transplantes, trabalhando sempre em parceria com as CIHDOTT. O profissional da OPO realiza avaliação das condições clínicas do possível doador, da viabilidade dos órgãos a serem extraídos e faz entrevista para solicitar o consentimento familiar da doação dos órgãos e tecidos.

 

 

Prefeitura lamenta

 

A Secretaria de Educação de Sorocaba, por meio de nota, lamenta e se solidariza com a família da criança, informando que tem dado todo o apoio necessário mediante a situação.

 

A prefeitura esclareceu que "o fato aconteceu na tarde do último dia 6, durante uma atividade pedagógica sobre o tema "Consciência negra", quando a turma do Berçário B teve contato com jabuticabas, visando experienciar a textura e o sabor da fruta que aparece na história apresentada aos estudantes no projeto. Durante a atividade a estudante, ao experimentar a jabuticaba, sofreu um engasgo com a fruta.

 

Imediatamente a unidade escolar acionou o SAMU e família. Uma das profissionais, que possui o curso técnico de enfermagem, assumiu o controle da situação até a chegada do resgate, o que aconteceu cerca de 20 minutos após. 

 

Assim que assumiu o controle da situação, o SAMU encaminhou a criança até o Hospital GPACI para internação na UTI, onde recebeu todo o atendimento necessário.

 

 No que tange à capacitação em noções básicas de primeiros socorros dos seus profissionais, a Sedu reconhece a importância da Lei nº 13.722, de 04 de outubro de 2018, e busca conceber um processo sólido para execução da mesma, tendo, inclusive, iniciado o processo para tal junto à Secretaria de Negócios Jurídicos para ciência e garantia dos aspectos legais de tal implementação. Este trabalho teve início em agosto, diante da nova gestão na Secretaria da Educação e só aguarda os trâmites legais.

 

A Rede Municipal de Ensino conta com aproximadamente 160 unidades escolares e 3 mil profissionais da educação, por isso, a SEDU estuda a melhor maneira de cumprir o disposto legal.

 

Informa, ainda, que não tem condições de fornecer outras informações de cunho médico ou familiar". 

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Empresas denunciam Crespo ao TCE por direcionamento em licitação do Carnaval

Justiça sob Moro quer focar lavagem de dinheiro para asfixiar crime organizado

Tempo da peneira - Veja artigo semanal de Vanderlei Testa

Capitão Derrite ‘detona’ Lei do Abuso da Autoridade: “é uma retaliação à Lava Jato”

Decreto de calamidade adia convocação de aprovados em concurso público

Cinebiografia de Elton John tem primeiras cenas divulgadas