Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Ônibus não circulam nesta quarta; Urbes diz haver liminar para 60% da frota rodar

Foto: reprodução
Postado em: 25/03/2020

Compartilhe esta notícia:

 

O Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba informou que, novamente, o transporte público não circula nesta quarta-feira (25), apesar de a Urbes ter informado que o Tribunal Regional do Trabalho da 15ª região (Campinas) determinou que 60% da frota rode em horários de pico, ou seja, das 5h às 8h e das 17h às 20h, e 40% da frota no restante do dia. 


O sindicato alega que ainda não foi notificado oficialmente pela Justiça. Este é o segundo dia sem transporte público em Sorocaba. Funcionam apenas transporte especial em esquema de plantão e fretamento e cargas.


Ainda de acordo com a Urbes, cabe ao sindicato da categoria acatar a decisão, sob pena de ser multado em R$ 50 mil por dia, valor que pode ser aumentado caso haja notícia do descumprimento e ação de violência e prejuízo ao patrimônio público.

 

Segue nota da Urbes

"O transporte coletivo de Sorocaba permanece 100% paralisado por conta do descumprimento por parte do sindicato da liminar expedida pelo TRT na tarde de terça-feira (24). A Prefeitura de Sorocaba, por meio da Urbes, irá novamente acionar a Justiça informando o descumprimento da liminar.

A Urbes espera que a situação seja resolvida o quanto antes, pois as pessoas que trabalham em serviços essenciais , neste momento de calamidade pública, são as mais prejudicadas.

A Urbes conta ainda com o bom-senso e responsabilidade por parte do sindicato da categoria para que a paralisação seja encerrada".


Nesta quarta-feira, o sindicato reforçou a estratégia de paralisação do trabalhadores em transporte por causa dos casos de coronavírus. 

Leia a nota na íntegra: 

"Sorocaba, 25 de março de 2020.

DIANTE DA OMISSÃO DO PODER PÚBLICO, NÓS ASSUMIMOS UM COMPROMISSO COM A VIDA

Devido à ameaça do coronavírus, o Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região precisou tomar uma atitude enérgica: paralisar o transporte coletivo em Sorocaba (como já ocorre em diversas cidades no país) para deter a propagação do novo coronavírus (Covid-19), atendendo assim, integralmente, a recomendação dos especialistas da saúde e decretos de autoridades políticas.

No contexto de uma administração pública responsável, essa medida nem deveria ter sido tomada pelo Sindicato, e sim pelos governantes. Estes, porém, optaram pelo populismo.

FIQUE EM CASA! OU VÁ PARA A RUA?

Nós estamos pagando um preço por nossa atitude, mas não nos importamos com isso, pois sabemos que estamos fazendo o que é certo. Se estivéssemos interessados em popularidade, faríamos o que a prefeita Jaqueline Coutinho fez e outros setores políticos da cidade defendem: fingir que incentiva o isolamento social, inclusive colocando carros de som na cidade para pedir as pessoas que fiquem em casa, ao mesmo tempo que exige na Justiça que os ônibus continuem a circular, sem nenhum critério para embarque de passageiros conforme o grau de urgência ou necessidade.

VIDAS IMPORTAM!

Entendemos que nosso compromisso histórico neste momento é com a vida e a segurança da população. As medidas de combate ao coronavírus são, em sua maioria, impopulares e quase todas acarretam prejuízos de alguma maneira. 
Porém, a experiência dos outros países, inclusive melhor estruturados no setor de Saúde que o Brasil, mostra que essas medidas são necessárias, e exigem grandeza dos homens públicos para que renunciem à demagogia e protejam de fato a população, até que a ameaça tenha passado.

O Sindicato dos Rodoviários sempre esteve e continua aberto para toda a forma de diálogo com o poder público, porém não abre mão de sua responsabilidade histórica de deter o avanço do coronavírus. 

É preciso esclarecer, por fim, que:

- a Prefeitura de Sorocaba não elaborou um plano de segurança para proteger os trabalhadores em transportes ou os passageiros (os ônibus continuavam a circular lotados em horários de pico);

- o transporte especial que atende às pessoas com necessidades especiais não foi paralisado;

- o transporte exclusivo para atender profissionais da saúde e segurança pública não chegou a ser ativado, porque a Urbes - Trânsito e Transportes não permitiu.

Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região"

 

 

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Câmara vota projeto que proíbe Governo de contratar condenados pela ‘Maria da Penha’

Morre Otavio Frias Filho, 61, diretor de Redação da Folha de S.Paulo

Vereador manifesta repúdio contra decisão do STF que libera o sacrifício de animais em cultos

Bandido é preso após assaltar lanchonete na avenida Nogueira Padilha

Gleisi compara FHC a Lobão e diz que Lula precisa ser entendido

Bolsonaro assina MP que reajusta salários de policiais do DF