Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Oitivas da vice: servidor nega que atuava como motorista particular de Jaqueline

Postado em: 12/06/2019

Compartilhe esta notícia:

Presidida pelo vereador Luis Santos (Pros), tendo Anselmo Neto (PSDB) como relator e Engenheiro Martinez (PSDB) como membro, a comissão também ouviu o chefe imediato do referido servidor, além de outras quatro testemunhas

A Comissão Processante que investiga possível infração político-administrativa da vice-prefeita Jaqueline Coutinho ouviu seis testemunhas na manhã desta quarta-feira, 12, na sala da Escola do Legislativo na Câmara Municipal, sob a presidência do vereador Luis Santos (Pros), tendo como relator o vereador Anselmo Neto (PSDB), além do vereador Engenheiro Martinez (PSDB), também membro da comissão.

O primeiro a ser ouvido foi o servidor Fábio Antunes Ferreira, lotado no Saae, que, de acordo com a denúncia que está sendo investigada, teria prestado serviços particulares para a vice-prefeita Jaqueline Coutinho em horário de expediente. O servidor negou que tenha prestado os referidos serviços e, questionado pelo vereador Engenheiro Martinez (PSDB), disse não ter feito horas extras como consta na denúncia.

Também o vereador Anselmo Neto questionou o fato de o servidor ter registradas entradas e saídas no condomínio onde mora a vice-prefeita coincidentes com o seu horário de trabalho no Saae, que era das 8 às 17 horas. O servidor admitiu que, às vezes, prestava serviços para moradores do condomínio fora do horário de almoço, mas não para a vice-prefeita.

Mais depoimentos – Em seguida, foi ouvido o vigilante do condomínio onde mora a vice-prefeita, Rodrigo Fernandes Batista Lima, que disse ter visto o servidor Fábio Antunes Ferreira no condomínio no período vespertino, depois das 14 horas. Disse também que o servidor do Saae, quase todos os dias, depois desse horário, estava trabalhando no condomínio.

Carlos Eduardo Alves, morador do condomínio, relatou falhas no registro de entrada e saída do condomínio, relatou que conhece o servidor do Saae há cerca de 25 anos, de quem já contratou serviços de pintura, e disse que, no período investigado só o via no condomínio após as 17 horas.

Edith Cardoso, que trabalhou com a vice-prefeita, tendo sido posteriormente transferida para a Secretaria de Cultura e, depois, exonerada pelo chefe do Executivo, disse que Fábio Antunes pegava os filhos da vice-prefeita sempre no horário de almoço. Outra testemunha, Simone Harkoff, cujos filhos estudavam na mesma escola dos filhos da vice-prefeita, disse que o servidor buscava as crianças apenas no horário de almoço.

O último a ser ouvido foi o servidor de carreira Jaime Augusto Rossi Farias, chefe do Setor de Rádio e Telemetria do Saae. Explicou o funcionamento do setor e disse Fábio Antunes não era, na prática, funcionário do setor e que só trabalhava no órgão no período da manhã. Disse não ter questionado a ausência do servidor no período vespertino por acreditar que, como oficial de gabinete, ele estivesse prestando serviços externos em compromissos oficiais, uma vez que se apresentava como indicado da vice-prefeita. Disse, ainda, que ouvira dizer que o servidor levava os filhos da vice-prefeita á escola.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Navio grego é alvo de operação da PF por derramamento de óleo que atingiu praias do Brasil

Prefeitura ultrapassa mil acordos em programa de parcelamento de dívidas

Trump lança Comando Espacial para assegurar “superioridade” dos EUA no espaço

Sorocaba registra 103 novos casos e 4 mortes pela Covid-19 em 24h

“La Casa de Papel” vai ganhar quarta temporada, afirma criador da série

Zona Azul de Votorantim volta a funcionar nesta segunda