Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Morre policial baleado após dar tiros para o alto e gritar palavras em Salvador

Foto: reprodução
Postado em: 29/03/2021

Compartilhe esta notícia:

João Pedro Pitombo, FOLHAPRESS


Um policial militar foi baleado no início da noite deste domingo (28) após ter passado cerca de quatro horas dando tiros para o alto e gritando palavras de ordem no Farol da Barra, um dos principais pontos turísticos de Salvador. Ele morreu no final da noite no Hospital Geral do Estado.


O policial chegou ao Farol da Barra por volta das 14h dirigindo um carro particular e rompeu as barreiras que isolavam a região. Em seguida, desceu do veículo e começou a disparar para o alto, provocando pânico entre moradores da região.


O policial estava fardado, armado com um fuzil e uma pistola e estava com com o rosto pintado de verde e amarelo. O governo baiano afirma que o soldado enfrenta um surto.


Em vídeos publicados por testemunhas nas redes sociais, o policial gritou palavras de protesto, falando em desonra e violação da dignidade dos policiais.


"Comunidade, venham testemunhar a honra ou a desonra do policial militar do estado da Bahia", gritou o policial militar em um dos vídeos, logo após ter dado um tiro para o alto com uma pistola.


Em outro momento, ele grita: "Não vou deixar, não vou permitir que violem a dignidade e honra do trabalhador". A região do Farol da Barra foi isolada.


Em nota, o governo da Bahia afirmou que o policial estava em situação de "surto psicológico".


Por volta das 18h30, após cerca de quatro horas de negociação, o policial foi atingido por tiros. Ele foi socorrido por uma ambulância e levado para Hospital Geral do Estado, onde morreu horas depois.


Em nota, o governo da Bahia informou que o policial disparou com um fuzil contra guarnições do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais), que revidou: "Após pelo menos 10 tiros, o soldado foi neutralizado", diz a nota


Ainda segundo o governo baiano, o soldado "alternava momentos de lucidez com acessos de raiva, acompanhados de disparos". E chegou a iniciar uma contagem regressiva antes de começar a atirar contra os colegas.


"O nossos objetivos primordiais são preservar vidas e aplicar a lei. Buscamos, utilizando técnicas internacionais de negociação, impedir um confronto, mas o militar atacou as nossas equipes. Além de colocar em risco os militares, estávamos em uma área residencial, expondo também os moradores", afirmou o comandante do Bope, major Clédson Conceição.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Cerca de 564 mil veículos devem trafegar pela Castello-Raposo durante ano novo

Aneel define que consumidor não vai pagar adicional nas contas de luz de junho

Após acusação de Bolsonaro, Maia pauta MP do 13º do Bolsa Família

Greve Geral: professores, motoristas de ônibus e servidores paralisarão atividades

Secretários afastados são exonerados pela prefeita Jaqueline Coutinho

Polícia prende 413 pessoas no 1º fim de semana oficial do Carnaval de rua em SP