Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Ministro do STJ diz que Queiroz não comprovou saúde debilitada e tentou destruir provas

Arquivo
Postado em: 14/08/2020

Compartilhe esta notícia:

Jovem Pan News

O ministro Félix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), afirmou em decisão que Fabrício Queiroz não comprovou ter a saúde debilitada e tentou “arduamente” destruir provas. Ao analisar o caso, Fischer entendeu que a “única medida apropriada” é a prisão preventiva. Queiroz é ex-assessor do senador Flavio Bolsonaro (Republicanos-RJ), acusado de participar do esquema de “rachadinha” supostamente praticado no gabinete do filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro durante o mandato de deputado estadual pelo Rio de Janeiro.

Nesta quinta, Fischer revogou a prisão domiciliar do ex-assessor e determinou o retorno ao regime fechado. A mesma decisão vale também Márcia Aguiar, esposa de Queiroz. Em 9 de julho, o presidente do STJ, João Otávio de Noronha, concedeu o benefício da prisão domiciliar a ele e a Márcia, que estava foragida desde 18 de junho quando a Polícia Federal deflagrou a Operação Anjo.

Segundo o ministro, há indicações de que o casal Márcia e Queiroz teriam se articulado para a destruição de provas do processo de investigação. “Articulou e trabalhou arduamente, em todas as frentes, para impedir a produção de provas e/ou realizar a adulteração/destruição destas.” Ainda de acordo com Fischer, a documentação de saúde apresentada “não dá conta de que o paciente atualmente enfrenta estado de saúde extremamente debilitado e de que eventual tratamento de saúde não poderia ser realizado na penitenciária ou respectivo hospital de custódia”, diz. Queiroz foi preso em Atibaia, no interior de São Paulo, no mês de junho. Ele estava na casa do então advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef.

 

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Câmara de Vereadores já tem votos para cassar Crespo e busca solução

Bolsonaro quer doar resto de campanha para hospital em Juiz de Fora

Detento que atuava em prefeitura foge após GCM flagrá-lo com tijolo de maconha

Polícia investiga caso de professora estuprada dentro de carro em escola municipal

Câmara aprova MP que amplia uso de assinatura eletrônica

Almas falantes: dicas dos 30 leitores - veja o artigo semanal de Vanderlei Testa