Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Crespo suspende contrato milionário de publicidade após ‘ameaça’ do MP

Postado em: 01/06/2019

Compartilhe esta notícia:

Os pagamentos do governo de José Crespo (DEM) à agência de publicidade DGentil Propaganda estão suspensos desde 22 de maio último, por recomendação do Ministério Público. O pedido foi feito pela Comissão de Economia da Câmara e a decisão da Administração Municipal foi confirmada pelo secretário da Fazenda, Marcelo Regalado. O MP abriu um inquérito civil para apurar o caso e apontou que o secretário e o prefeito poderiam responder por crime de responsabilidade caso não tomassem a atitude.

No início do mês, a Comissão de Economia, Finanças, Orçamentos e Parcerias da Câmara Municipal havia protocolado no Ministério Público do Estado de São Paulo denúncia contra o prefeito José Crespo, por improbidade administrativa, com base em relatório parcial da CPI do Falso Voluntariado.

A investigação do Legislativo constatou indícios de irregularidades no contrato de publicidade com a agência DGentil Propaganda, para o qual teriam sido remanejadas irregularmente verbas de outras secretarias.

O promotor Orlando Bastos Filho, do Ministério Público de São Paulo, instaurou um inquérito civil para investigar o contrato, que tem valor de R$ 20 milhões. No seu texto, ele recomendou que o prefeito de Sorocaba, José Crespo (DEM), suspendesse imediatamente o contrato e que nenhuma nova despesa com a empresa fosse paga pelo município enquanto durarem as investigações.

Segundo Orlando Bastos, as recomendações “são prudentes, na medida em que são muitas as dúvidas que envolvem o contrato, que valores eventualmente com eles dispendidos são de dificílima recuperação, que na hipótese deve prevalecer o interesse público primário, em defesa do erário e não da administração”.

Ainda de acordo com ele, em especial, “não falamos de serviços essenciais, seja por sua natureza, seja porque vários municípios, inclusive muito em voga e amplamente divulgados, já deram o exemplo quanto ao caráter não fundamental para a comunidade de gastos com propaganda”.

O inquérito civil proposto pelo promotor vai investigar a contratação da agência após denúncia feita pela Comissão de Economia da Câmara Municipal. A denúncia, assinada pelos vereadores Hudson Pessini (MDB), Péricles Régis (MDB) e Renan dos Santos (PCdoB) e acusa a prefeitura de ter contratado a empresa de forma ilegal, sem a devida dotação orçamentária, com verbas de diversas secretarias e até do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) para tentar aumentar a popularidade do prefeito.

O texto do promotor cita também o secretário da Fazenda, Marcelo Regalado, sob pena de responsabilidade se autorizar qualquer pagamento à empresa. A Corregedoria da Prefeitura de Sorocaba, citada também sob pena de responsabilidade, deve informar as outras pastas da interrupção do contrato.

Orlando Bastos citou ainda que a empresa Dgentil, que tem como nome fantasia Estação Primeira da Propaganda, já é alvo da Operação Casa de Papel, que investiga desvio e lavagem de dinheiro, fraudes em licitações e corrupção de agentes públicos na Prefeitura.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Peça infantil “Poesia em Movimento” é apresentada em Votorantim

PM recupera carro de família que havia sido rendida por bandidos em casa da ZL

Sorocaba registra baixa taxa de isolamento social por mais de 10 dias seguidos

Bolsonaro quer iniciar 2020 com reforma ministerial no alto escalão

Traficantes são presos e polícia desarticula quadrilha que abastecia drogas

Supremo autoriza investigação sobre acusações de Moro contra Bolsonaro