Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Mais um cão é resgatado em SP após rinha; pit bulls passam por tratamento no Instituto Luisa Mell

Postado em: 21/12/2019

Compartilhe esta notícia:

FOLHAPRESS

Mais um cachorro supostamente usado em rinha foi resgatado em São Paulo. Segundo a ativista Luisa Mell, ele foi localizado após denúncia, na casa de um dos envolvidos no caso de Mairiporã.

O cão tem marcas de briga e vivia amarrado sob sol e chuva em um quintal, relatou a protetora, na sexta (20), em rede social. Têm sido constantes os resgates e reações desde que a polícia descobriu uma rinha em Mairiporã, no dia 14.

TRATAMENTO

Os animais resgatados estão sob cuidados do Instituto Luisa Mell, do projeto Encontrei um Amigo e Pits Ales.

O protetor Alessandro Desco mostra em rede social o tratamento e evolução dos pit bulls.

Os animais são dóceis com humanos, embora tenham sido treinados para lutar e sejam agressivos com outros cães. Por isso, após o tratamento de saúde, deverá ser feita a reabilitação dos animais.

Alguns cães já estão sendo colocados juntos, para facilitar a interação e futuras adoções.
Mas o trabalho é contínuo.

"Quase todos os cães são extremamente assustados e medrosos. Qualquer barulho assusta, e eles se encolhem e fazem xixi de medo", escreveu.

Boston é um dos animais feridos em estado mais delicado. Está com alteração hepática e comprometimento de baço por causa dos anabolizantes, de acordo com o Pits Ales.
Por enquanto, os protetores são fiéis depositários dos cães. Eles só poderão ser colocados para adoção após decisão judicial.

RELEMBRE O CASO

A operação que fechou a rinha em Mairiporã ocorreu após investigação iniciada no Paraná, e contou com apoio da polícia paulista.

Era cena de terror, conforme o delegado Matheus Loiola, chefe da DPMA (Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente) do Paraná. "Em 13 anos de polícia, nunca vi nada parecido", diz. Segundo ele, a maioria dos policiais se comoveu com a situação dos cães.

Na ocasião, 17 animais foram resgatados -outros dois morreram-, e 41 pessoas que estavam no local foram detidas. Dessas, 40 acabaram soltas mediante fiança. Na quinta (19), porém, à Justiça determinou a prisão preventiva de 22 envolvidos -a polícia ainda não informou quantos já estão presos.

O animal encontrado na sexta pertence a um dos suspeitos -e que era considerado foragido, segundo Luisa Mell.

Como parte das investigações, outros 33 pit bulls foram encontrados em um sítio em Itu (SP). Na ocasião, a polícia informou que o responsável era um peruano detido na rinha.

Porém, de acordo com reportagem da TV Tem, uma empresária se apresentou como responsável pelo local, disse conhecer o suspeito há anos, mas que não sabia que frequentava rinha. O peruano morava no sítio e teria trabalhado no restaurante da empresária. Ela disse ser dona de 14 dos animais, negou maus-tratos e afirma querer os animais de volta.

No Paraná, mais cinco pit bulls foram resgatados na casa de um dos investigados na operação.
PUNIÇÃO

Em meio a esse caso, projeto de lei que amplia a pena para maus-tratos de cães e gatos foi aprovada nesta terça (17) pelo plenário da Câmara. O texto agora segue para análise no Senado.

A pena atual é considerada branda por permitir aos agressores ficarem em liberdade e converterem a punição em prestação de serviço.

O secretário executivo da Prefeitura de São Paulo e ex-deputado federal Ricardo Tripoli abriu um abaixo-assinado pela aprovação de um projeto de lei de sua autoria, de 2011, que aguarda votação no Senado desde 2015.

Essa proposta endurece a punição para maus-tratos, incluindo rinhas. O projeto prevê, por exemplo, pena de 3 a 5 anos de prisão para quem matar cão ou gato.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Relator determina “urgência” para que Crespo responda na justiça comum

Homem de 35 anos morre após contrair febre maculosa em Salto

Orçamento de Sorocaba é aprovado em segunda discussão com 422 emendas

Família busca informações sobre paradeiro de presidente do Conegro Sorocaba

ViradaSP em Salto –  24 horas de Música, Teatro e Dança - veja a coluna de José Simões

‘Muambeiro do Batom’ é detido pela Polícia Rodoviária com 540 quilos de cosméticos