Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Jaqueline corta ‘apadrinhados’ de Crespo que custavam quase R$ 2 mi ao ano

Postado em: 06/08/2019

Compartilhe esta notícia:

O Jornal do Município publicou, em sua edição desta segunda-feira (5), exonerações de pessoas nomeadas pelo prefeito cassado José Crespo, que ocupavam cargos de confiança do democrata na Prefeitura de Sorocaba.

A maioria dos comissionados exonerados atuava no sexto andar do Paço, onde ficam os gabinetes de prefeito e vice-prefeito. Somados seus vencimentos, os demitidos custavam mensalmente aos cofres públicos aproximadamente R$ 156 mil. Anualmente, o valor chegava a R$ 1,87 milhões.

A mudança ocorre no quarto dia de mandato da prefeita Jaqueline Coutinho (PTB). Entre os exonerados estão a assessora que atuava em Brasília, Jane Cláudia Santin Martins. Conforme o Portal da Transparência, seu salário era de R$ 11.748,06.

Outro funcionário de confiança de Crespo exonerado – e que atuava com ele desde a campanha eleitoral é Carlos Henrique Mendonça, que ocupava o cargo de Chefe de Gabinete do Poder Executivo. O exonerado ficou conhecido pelo infame episódio da distribuição de coxinhas aos servidores, enquanto estes protestavam por melhorias para a categoria em frente à casa do prefeito cassado, no Campolim. Seus vencimentos mensais eram de R$ 18.147,28. Em seu lugar foi nomeado Alexandre Lombardi.

Também foi exonerada Jéssica Pedrosa, que atuava no cargo de Assessora de Assuntos Internacionais da Chefia do Poder Executivo. Seu salário era de R$ 13.130,21.

A ex-secretária de Saúde Marina Elaine Pereira, que voltou a trabalhar para Crespo há pouco tempo, mas no cargo de Ouvidora Geral do Município, da Secretaria do Gabinete Central, também foi exonerada. Seus vencimentos mensais eram de R$ 13.884,09.

Os diretores de área Fernando Marques (R$ 9.871,96) e Silvio Saraiva de Souza (R$ 9.871,96) pediram demissão. Outros funcionários comissionados de Crespo que também exerciam este cargo e foram exonerados são Anderson Fornel (R$ 9.871,96), Liliana Aparecida dos Santos de Jesus ( R$ 9.871,96), Mateus de Oliveira Ramos (R$ 9.871,95), Alexandre Hugo de Morais (R$ 9.871,96), que por sinal já foi Secretário de Abastecimento e Nutrição e denunciado no caso do pagamento em duplicidade das merendas fornecidas às escolas municipais.

Os demais diretores de área demitidos são Maria Cassiane de Souza (R$ 9.871,96), Sandra Fonseca (R$ 9.871,96), Follguy Sanches Garcia (R$ 10.661,72) e Carol Magoga (R$ 9.871,96).

Já os funcionários Raphael Pironi e Aliane Francisco Mendes deixam os cargos de diretores de área e volta às suas funções de origem.

Na mesma edição do Jornal do Município também consta a exoneração da então Secretária de Licitações e Contratos, Rosângela Arcuri Pacheco, e a nomeação da nova chefe da Pasta, Marlene Manoel da Silva Leite.

Vale ressaltar que semana passada já haviam sido exonerados os secretários afastados com remuneração Hudson Zuliani (investigado pela Polícia Civil na operação Casa de Papel) e Marinho Marte (investigado por cobrar supostos ‘mensalinhos’ de seus funcionários quando vereador).

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Alexandre de Moraes, do STF, suspende nomeação de Ramagem na Polícia Federal

Filho discute com pai e crava faca em suas costas para se proteger de agressão

Com uso de drones, polícias paulistas combatem o crime com tecnologia de ponta

Facebook é condenado por não bloquear vídeos íntimos de menina de 13 anos

Bolsonaro revoga decreto que explora a concessão de UBS

Polícia Civil identifica autores de posts de ameaça de massacre no Sesi