Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Hashtag pró-Bolsonaro com erro viraliza e levanta suspeita de utilização de robôs

Foto: reprodução/Facebook
Postado em: 28/04/2020

Compartilhe esta notícia:

Mateus Camillo, FOLHAPRESS


O presidente Jair Bolsonaro enfrenta a mais grave crise política de seu mandato após a saída de Sergio Moro do Ministério da Justiça, na sexta (24). O ex-juiz o acusou de tentar interferir na Polícia Federal em benefício próprio e de seus filhos.


Desde então, circulam na principal base do presidente, as redes sociais, hashtags que o apoiam e criticam Moro. Uma delas, no Twitter, viralizou nesta segunda-feira (27): #FechadocomBolsolnaro.


Bolsolnaro, isso mesmo, com um "L" a mais.


O erro de digitação foi motivo de piadas de adversários políticos e usuários que não simpatizam com o presidente, que insinuaram uso de robôs para alavancar a hashtag.


"Erraram na programação dos bots", escreveu @rafaelramozz. @atomiclarity foi irônica. "É normal errar palavras na TAG quando você está usando robôs, gente. As vezes o sistema buga mesmo".


Para @CairoF45, "Calrluxo comprou robô chinês ou a militância não sabe o nome do seu líder". O usuário publicou uma foto de vários celulares interligados por fios em uma espécie de "fazenda de bots".


O deputado estadual de São Paulo Arthur do Val, o Mamãe Falei, membro do MBL (Movimento Brasil Livre, que entrou nesta segunda com pedido de impeachment contra Bolsonaro) escreveu: "@CarlosBolsonaro CORRE! O estagiário errou o nome na #FechadoComBolsolnaro."


Procurado, o Twitter disse que "conduziu investigação e não encontrou qualquer indicativo de comportamento coordenado inautêntico ou inorgânico relacionado à hashtag mencionada. Não é raro que hashtags com erro de digitação sejam utilizadas repetidas vezes na plataforma, uma vez que o recurso de autocompletar pode sugerir ao usuário um termo já utilizado anteriormente ainda que esteja escrito de forma equivocada."


A plataforma adota medidas para melhorar a lista de "Assuntos do Momento", como a exclusão de tuítes automatizados do cálculo dos Trending Topics.


Para o pesquisador Fabio Malini, professor da Universidade Federal do Espírito Santo e especialista em extrações de dados do Twitter, é preciso ter cuidado ao usar o termo robô. "Por incrível que pareça, é melhor tratar como humano, como contas controladas humanamente, ainda que de forma remota, via script", diz.


Malini diz que é comum, nesses casos, perfis responderem "vem cá, eu não sou bot não", o que acaba virando piada no meio bolsonarista.


De fato, muitos perfis orgânicos, de políticos, influenciadores e blogueiros bolsonaristas publicam utilizando a hashtag. "Estou usando hashtag com erro de digitação. Devo ser um robô", escreveu o influenciador Leandro Ruschel.


A hashtag original, sem o erro, pode não ter emplacado, perdido a força ou sofrido punição do Twitter em sua origem. Isso, muitas vezes, faz com que a própria estratégia de comunicação dos apoiadores de Bolsonaro assuma a hashtag errada, explica Malini, pois a nova pode ganhar a força que a anterior não tinha.


Em extração a pedido da reportagem, Malini detectou que o perfil @ferna_feitoza retuitou 156 vezes a hashtag, de 131 participantes diferentes, sendo o líder nesse quesito. "É muito, mas, se dividir pelo horário de trabalho, das 9h às 17h, é algo possível para qualquer humano".


Ao mesmo tempo, o sétimo perfil mais ativo na hashtag desta segunda é o @bolsonarort, autodeclarado bot. "A cada tweet sobre o Bolsonaro dou RT", diz o perfil.


Da 0h20 até 18h45 desta segunda, o perfil realizou uma média de 174 tuítes por hora –não apenas sobre a hashtag #FechadocomBolsolnaro.


Só às 12h21, o perfil fez 95 retuítes. "Isso sim é humanamente impossível", diz Malini.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

"Não há previsão de adiarmos o Enem", diz presidente do Inep

Pedido de devolução de DPVAT pago a mais começa dia 15 e será concluído em até dois dias

Prefeitura de Sorocaba homenageia funcionários que atuaram no Hospital de Campanha

Estudante que atirou ovo em Bolsonaro faz acordo e pagará multa

Crise do novo coronavírus pode ficar pior, alerta OMS

Estudo aponta queda na disseminação de notícias falsas no Facebook