Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Globo não aceita exigências do Palmeiras para transmissão do Brasileiro

Postado em: 27/04/2019

Compartilhe esta notícia:

Diego Garcia e Paulo Passos, da Folhapress

O Grupo Globo informou ao Palmeiras na noite desta sexta-feira (26) que não aceitou a contraproposta feita pelo clube para acertar a compra de direitos de transmissão do Brasileiro para TV aberta e pay-per-view. As conversas, porém, vão continuar com o torneio em andamento.

O clube exigia que não fosse aplicado redutor no pagamento do pay-per-view em razão de o clube ter fechado direitos de TV por assinatura com o Grupo Turner, dono do canal TNT, onde os jogos do Brasileiro serão exibidos.

O Palmeiras também queria luvas maiores que as pagas ao rival São Paulo e não aceitou que os jogos na capital paulista deixassem de ser exibidos na cidade pelos canais da Turner.

A exigência da Globo tem o objetivo de garantir ao canal Premiere exclusividade na cidade onde as partidas são realizadas. Essa condição foi aceita pelos outros clubes da Série A que fecharam com a Turner e, posteriormente, venderam diretos para a Globo.

Procurado pela reportagem, o diretor de direitos esportivos do Grupo Globo, Fernando Manuel Pinto, confirmou que ainda não existe um acordo com o Palmeiras, mas ressaltou que as conversas vão continuar, mesmo após a primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

“Ainda existe uma negociação em andamento e também há engajamento dos dois lados. Não comento detalhes técnicos, para nós o importante é a coerência do modelo e a realidade, situação de mercado em que nos encontramos. Existe um tempo para avaliação e posição de cada parte, a conversa vem sendo conduzida de forma profissional por ambos, respeitamos isso e cabe a cada clube a decisão sobre seus ativos”, disse ele à Folha.

Em nota, o presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, afirma que há diferenças financeiras e conceituais a superar.

“Cabe esclarecer que nosso posicionamento está embasado em critérios absolutamente técnicos, com ênfase em audiência, performance esportiva destacada e na relevância da marca Palmeiras, considerando não apenas a evolução dos últimos anos, mas sobretudo a perspectiva para os próximos”, disse o presidente.

“Vale registrar que não há ruptura ou mudança drástica com relação aos valores históricos de remuneração e entendemos que aspectos concorrenciais possam ter tornado o processo de negociação mais complexo”, completou Galiotte.

De acordo com apuração da reportagem com pessoas ligadas ao clube, o time alviverde não vai aceitar assinar um acordo com a Globo se os redutores não forem retirados do contrato. Por isso, a equipe paulista trabalha com a possibilidade de não ter seus jogos na emissora neste ano.

O canal também já considera o prejuízo de não vender pacotes de pay-per-view para os torcedores do Palmeiras. Último campeão brasileiro, o clube paulista foi o terceiro que teve mais torcedores que compraram o serviço da Globo em 2018.

Apesar de as partes manterem a possibilidade de negociação, com o início do campeonato a avaliação da Globo é de que a proposta será menor a cada rodada, já que o número de partidas também ficará menor no pacote.

A Globo oferece redutores no valor pago às equipes que assinaram com o Esporte Interativo, canal do Grupo Turner que encerrou suas atividades em 2018, para transmissão em TV fechada de 2019 a 2024. No contrato de TV aberta, a redução pode chegar a 20% por ano. No pay-per view, seria de 5,27% por partida.

Athletico-PR, Bahia, Ceará, Fortaleza, Palmeiras e Santos assinaram acordo com a Turner para exibição dos jogos de TV fechada de 2019 e 2024. A exceção é o Internacional, que tem acerto válido apenas até 2020.

Quase todos os times receberam cerca de R$ 40 milhões de luvas da Turner neste ano, mas o Palmeiras embolsou R$ 100 milhões. O clube queria luvas similares da Globo.

Sem o acordo do Palmeiras com a Globo, 26 jogos do campeonato –contra os 13 times que assinaram com a emissora– podem ficar sem transmissão na TV. Segundo a Lei Pelé, uma partida só pode ser exibida com a anuência dos dois times participantes.

No pay-per-view, o apagão pode chegar a 74 jogos, já que por enquanto nem Athletico-PR nem Palmeiras fecharam acordo para ter seus jogos exibidos nesse serviço.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

CRAS terão eventos voltados às mulheres na próxima semana

Venda e uso do Cartão Unitário do transporte coletivo são prorrogados

Totens nos pontos de ônibus do BRT Sorocaba indicam local exato onde motorista deve parar

Projeto para a redução do número de vereadores é aprovado em primeira votação em Iperó

Bandidos atiram ao menos 14 vezes contra carro de PM de folga em tentativa de assalto

Queda nas temperaturas faz Prefeitura redobrar abordagens às pessoas de rua