Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

VÍDEO: gestor da Santa Casa diz que hospital pode fechar a qualquer momento

Postado em: 07/11/2019

Compartilhe esta notícia:

A Santa Casa de Sorocaba pode interromper seu funcionamento a qualquer momento, devido a um atraso de 70% no repasse de recursos por parte da Prefeitura. O alerta foi feito na manhã desta quinta-feira (7) pelo Padre Flávio Miguel Júnior, gestor do Hospital, em mensagem enviada aos vereadores da cidade. O IPA Online obteve o texto com exclusividade junto a fontes do Legislativo. Assista o vídeo abaixo

No texto, o padre Flávio afirma que a Santa Casa tem quatro notas fiscais vencidas, totalizando um valor de aproximadamente R$ 5,3 milhões. O padre questiona os vereadores: "Ora, como um hospital 100% SUS, pode ter 70% de seu repasse em atraso?
" A mensagem afirma também que a Secretaria da Fazenda não tinha previsão para o pagamento.

Ainda segundo a mensagem, na noite de ontem o gestor da Santa Casa telefonou para a prefeita Jaqueline Coutinho, "que me ouviu com carinho e atenção, mas a mesma realmente confirmou o caos geral na saúde, onde só nessa pasta a dívida até ontem estava aproximadamente em R$ 14 milhões".

Ainda de acordo com o texto, a prefeita se comprometeu com o gestor da Santa Casa a estudar junto ao titular da Fazenda, Marcelo Regalado, uma solução. Porém, na mensagem, o padre Flávio Miguel aponta não acreditar que haverá uma "solução imediata, por um simples fato: a cidade está quebrada! Agora é hora de colocarmos de lado as questões pessoais e políticas, e pensarmos na população sorocabana que ficará  sem atendimento hospitalar, pois o atendimento poderá parar a qualquer momento".

Peço humildemente aos nobres vereadores(as) que marquem com urgência uma reunião com a sra prefeita e a ajudem com ideias e sugestões para encontramos uma saída para o caos.

Segundo o gestor, dos R$ 5,3 milhões, caso o Poder Público repassasse R$ 2,5 milhões, ele conseguiria pagar os funcionários e alguns fornecedores, entre eles a lavanderia. "Para eu poder fazer o mínimo para a coisa não ir para um caminho dramático. A cidade não precisa estar cheia de UPHs, UPA, se não tem condições de mantê-los", desabafou. "Se chegar o caso de faltar parte da lavanderia ou sindicato iniciar greve, são situações que me escapam. Não tenho de onde tirar, não tenho o que fazer. Da minha parte, farei o possível para que não falte atendimento à população", completou. "Estou prevenindo desdobramentos que poderão acontecer. Não estou fazendo terrorismo. Quero que a população saiba o que pode acontecer. O problema é grave", afirmou ele.

Assista a um trecho da entrevista do padre, nesta manhã de quinta-feira (7), no Jornal da Ipanema, da Rádio Ipanema

Veja a íntegra da mensagem obtida pelo IPA Online:

"Nobre Presidente Fernando Dini e 
Nobres Vereadores(as)

 

Dirijo-me aos senhores(as) diante da situação caótica que estamos enfrentando, frente aos constantes atrasos nos pagamentos pela Prefeitura Municipal a nossa Santa Casa de Misericórdia.

 

Atualmente temos 04 Notas vencidas:


NF 249094 -                         R$ 1.911.490,83


NF 249096 -                         R$ 1.225.272,98


NF 249097 -                         R$ 230.373,52


NF 249099 -                         R$ 1.911.490,83


Total: R$ 5.278.628,16

 

Ora, como um hospital 100% SUS, pode ter 70% de seu repasse em atraso?


Estamos com fornecedores em atraso, e hoje é dia do pagamento dos nossos funcionários, além disso ainda corremos o risco de ficar a qualquer momento sem a rouparia para os leitos, dado o atraso no pagamento da lavanderia.

 

Ontem a informação que recebemos da SEFAZ que nao há previsão de pagamento.


Senhores(as), a situação é angustiante e pode impactar todo o atendimento a população.

 Diante disso faço aqui meu pedido de socorro aos nobres vereadores(as) para ajudarem a prefeita a encontrar uma solução para o caos na saúde.


Ontem fiquei no telefone com a sra prefeita, Dra. Jaqueline Coutinho, até as 23 horas, que me ouviu com carinho e atenção, mas a mesma realmente confirmou o caos geral na saúde, onde só nessa pasta a dívida até ontem estava aproximadamente em $14 milhões.

A sra prefeita me disse que falará hoje com o sr Regalado e com Dr Ademir, no entanto não acredito que trarão uma solução imediata, por um simples fato: a cidade está quebrada!
 Agora é hora de colocarmos de lado as questões pessoais e políticas, e pensarmos na população sorocabana que ficará  sem atendimento hospitalar, pois o atendimento poderá parar a qualquer momento.

Peço humildemente aos nobres vereadores(as) que marquem com urgência uma reunião com a sra prefeita e a ajudem com ideias e sugestões para encontramos uma saída para o caos.

Pe. Flávio Júnior"

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Na Zona 2 do Plano São Paulo, Sorocaba quer ascender um nível para maior flexibilização da economia

Criminosos são procurados após tentativa frustrada de estourar cofre de banco em Araçoiaba da Serra

Hora de dar adeus: Oito séries que vão terminar em 2019 e duas que já acabaram

Ex-marido invade casa e é preso em flagrante pela GCM pelo "botão do pânico"

Mutirão de Castração tem vagas para cães machos e gatos; inscrições terminam hoje

Vereadora denuncia déficit de médicos e falta de sala de esterilização de instrumentos no Samu