Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Filha de família carbonizada e namorada são indiciadas por triplo homicídio no ABC paulista

Foto: Folhapress
Postado em: 01/02/2020

Compartilhe esta notícia:

Alfredo Henrique, Folhapress

 

As duas suspeitas de participação na morte de uma família, encontrada carbonizada dentro do porta-malas de um carro, na madrugada de terça-feira (28), em São Bernardo do Campo (ABC), foram indiciadas na noite desta sexta (31) por triplo homicídio qualificado.

 

Segundo apurou a reportagem, Ana Flávia Menezes Gonçalves, 24 anos, filha e irmã de uma das vítimas, e sua namorada, Carina Ramos, 26, mudaram a versão sobre o crime durante depoimento no COI (Centro de Operações Integradas de Segurança).

 

Como o caso está em segredo de Justiça, não foram passados detalhes da nova versão pela polícia, que tenta descobrir as motivações para o crime.

 

Elas sempre negaram a participação no crime e, inicialmente, teriam dito que a família havia sido morta por causa de uma dívida de R$ 200 mil com um agiota.

 

Os depoimentos começaram no início da noite desta sexta e não tinham sido concluídos até a publicação desta reportagem.

 

Na madrugada de terça (28), o comerciante Romuyuki Gonçalves, 43 anos, a mulher Flaviana, 40, e o filho Juan, 15, foram encontrados mortos no carro da família, um Jeep Compass, no limite entre São Bernardo e Santo André. O carro todo foi queimado.

 

As duas foram presas preventivamente na última quarta-feira por suspeitas de participação no crime.

 

Segundo a polícia, o próximo passo da investigação será o pedido de prisão de outros suspeitos de envolvimento no crime. Uma testemunha afirmou ter visto um homem alto na casa da família na noite do crime.

 

CARA A CARA COM A AVÓ

 

A avó de Ana Flávia, Vera Guimarães, 57 anos, ficou frente a frente com a neta, por volta das 16h desta sexta.

 

Segundo Vera, Ana Flávia negou participação no crime de forma exaltada. "Minha neta estava sentada de frente para o delegado bebendo muito água", disse.

 

Ana Flávia e a namorada foram presas após a polícia apontar contradições no depoimento das duas, e imagens de câmeras de monitoramento mostrarem que ambas estavam no condomínio onde a família morava em Santo André (ABC), na noite do crime.

 

Segundo laudo preliminar, os três foram mortos com pancadas na cabeça antes de serem encontrados carbonizados no porta-malas do carro da família, na divisa entre Santo André e São Bernardo.

 

OUTRO LADO

 

O advogado de defesa Lucas Domingos afirmou que irá se reunir com mais dois advogados, a partir deste sábado, para estudar o inquérito policial e se articular para realizar a defesa de Ana Flávia e Carina. "A tese da defesa é a de inocência", afirmou, acrescentando que as duas suspeitas afirmam ser inocentes. 

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Justiça revoga prisão de ex-governadores Rosinha e Garotinho

Vigilância Sanitária interdita clinica de reabilitação no Éden

Funcionário do Fórum de Sorocaba é preso por oferecer sentença a réus

Cerca de 88 mil eleitores solicitaram voto em trânsito para as eleições

‘Eu prefiro um crime de internet a de estupro’, diz pai de Neymar

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado de R$ 190 milhões