Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Filha de família carbonizada e namorada são indiciadas por triplo homicídio no ABC paulista

Foto: Folhapress
Postado em: 01/02/2020

Compartilhe esta notícia:

Alfredo Henrique, Folhapress

 

As duas suspeitas de participação na morte de uma família, encontrada carbonizada dentro do porta-malas de um carro, na madrugada de terça-feira (28), em São Bernardo do Campo (ABC), foram indiciadas na noite desta sexta (31) por triplo homicídio qualificado.

 

Segundo apurou a reportagem, Ana Flávia Menezes Gonçalves, 24 anos, filha e irmã de uma das vítimas, e sua namorada, Carina Ramos, 26, mudaram a versão sobre o crime durante depoimento no COI (Centro de Operações Integradas de Segurança).

 

Como o caso está em segredo de Justiça, não foram passados detalhes da nova versão pela polícia, que tenta descobrir as motivações para o crime.

 

Elas sempre negaram a participação no crime e, inicialmente, teriam dito que a família havia sido morta por causa de uma dívida de R$ 200 mil com um agiota.

 

Os depoimentos começaram no início da noite desta sexta e não tinham sido concluídos até a publicação desta reportagem.

 

Na madrugada de terça (28), o comerciante Romuyuki Gonçalves, 43 anos, a mulher Flaviana, 40, e o filho Juan, 15, foram encontrados mortos no carro da família, um Jeep Compass, no limite entre São Bernardo e Santo André. O carro todo foi queimado.

 

As duas foram presas preventivamente na última quarta-feira por suspeitas de participação no crime.

 

Segundo a polícia, o próximo passo da investigação será o pedido de prisão de outros suspeitos de envolvimento no crime. Uma testemunha afirmou ter visto um homem alto na casa da família na noite do crime.

 

CARA A CARA COM A AVÓ

 

A avó de Ana Flávia, Vera Guimarães, 57 anos, ficou frente a frente com a neta, por volta das 16h desta sexta.

 

Segundo Vera, Ana Flávia negou participação no crime de forma exaltada. "Minha neta estava sentada de frente para o delegado bebendo muito água", disse.

 

Ana Flávia e a namorada foram presas após a polícia apontar contradições no depoimento das duas, e imagens de câmeras de monitoramento mostrarem que ambas estavam no condomínio onde a família morava em Santo André (ABC), na noite do crime.

 

Segundo laudo preliminar, os três foram mortos com pancadas na cabeça antes de serem encontrados carbonizados no porta-malas do carro da família, na divisa entre Santo André e São Bernardo.

 

OUTRO LADO

 

O advogado de defesa Lucas Domingos afirmou que irá se reunir com mais dois advogados, a partir deste sábado, para estudar o inquérito policial e se articular para realizar a defesa de Ana Flávia e Carina. "A tese da defesa é a de inocência", afirmou, acrescentando que as duas suspeitas afirmam ser inocentes. 

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Prefeita acompanha investigações sobre a causa da morte de jovem no Vitória Régia

Empresas e Universidades de Sorocaba organizam mais um webinar com foco na energia Solar

Alckmin defende na Ipa FM votação de reformas para economia crescer

Irmãos disputam um blusão de moletom na Justiça do Paraná

Diarista é atropelada e morta a facadas pelo ex-marido em Sarapuí

Falta de chuva e alto consumo de água preocupam Saae; represas podem entrar em "colapso"