Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Família de paciente com leucemia realiza caravana para cadastrar doadores de medula óssea

Postado em: 24/08/2018

Compartilhe esta notícia:

A família de Thiago Marini Wilfer, de 34 anos, paciente com leucemia que aguarda por um transplante de medula óssea, realizará uma caravana, neste sábado (25), para que uma viagem seja feita de Sorocaba a São Paulo, no intuito de reunir e cadastrar doadores.

Wilfer é administrador de empresas, casado e tem três filhos. Ele procura por doador compatível desde junho deste ano e possui menos de dois meses para que isto aconteça e realize o transplante no intuito de curar a doença.

width=1280
Thiago com a esposa e filhos

A caravana

Os ônibus sairão sábado às 6h30 e às 10h30 do Extra Santa Rosália para levar as pessoas interessadas em fazer o cadastro. Lá, o resultado do exame cai em uma semana no sistema da compatibilidade, o que ajudaria a encontrar o doador compatível a tempo.

O transporte, lanche e o estacionamento do Extra Santa Rosália serão gratuitos.

Interessados em ir precisam passar o nome, RG, telefone para reserva de vaga. Mais informações com Kizze pelo telefone (15) 9 9117-1485 ou por meio da rede social através de mensagem privada.

Em Mairinque um ônibus também sairá da frente da prefeitura, às 7 horas. Mais informações com Geovani: (11) 94518-0220.

Agradecimento, apelo e emoção

Por meio das redes sociais, Wilfer agradeceu o apoio de quem tenta ajudar no caso. Emocionado, ele chora e relata ter até outubro para encontrar um doador compatível. Até a manhã desta sexta-feira (24), a postagem havia sido compartilhada 3,7 mil vezes, com 82 mil visualizações.

Passo a passo para ser doador (Fonte: http://www2.inca.gov.br)

Qualquer pessoa entre 18 e 55 anos com boa saúde poderá doar medula óssea. Esta é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções, e se recompõe em apenas 15 dias.

Os doadores preenchem um formulário com dados pessoais e é coletada uma amostra de sangue com 5ml para testes. Estes testes determinam as características genéticas que são necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente.

Os dados pessoais e os resultados dos testes são armazenados em um sistema informatizado que realiza o cruzamento com dados dos pacientes que estão necessitando de um transplante.

Em caso de compatibilidade com um paciente, o doador é então chamado para exames complementares e para realizar a doação.

Tudo seria muito simples e fácil, se não fosse o problema da compatibilidade entre as células do doador e do receptor. A chance de encontrar uma medula compatível é, em média, de uma em cem mil!

Por isso, são organizados Registros de Doadores Voluntários de Medula Óssea, cuja função é cadastrar pessoas dispostas a doar. Quando um paciente necessita de transplante e não possui um doador na família, esse cadastro é consultado. Se for encontrado um doador compatível, ele será convidado a fazer a doação.

Para o doador, a doação será apenas um incômodo passageiro. Para o doente, será a diferença entre a vida e a morte.

A doação de medula óssea é um gesto de solidariedade e de amor ao próximo.
É muito importante que sejam mantidos atualizados os dados cadastrais para facilitar e agilizar a chamada do doador no momento exato. Para atualizar o cadastro, basta preencher este formulário.

Caso você decida doar

1. Você precisa ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado geral de saúde (não ter doença infecciosa ou incapacitante).

3. Como é feita a doação

Será retirada por sua veia uma pequena quantidade de sangue (5ml) e preenchida uma ficha com informações pessoais.

Seu sangue será tipificado por exame de histocompatibilidade (HLA), que é um teste de laboratório para identificar suas características genéticas que podem influenciar no transplante. Seu tipo de HLA será incluído no cadastro.

Seus dados serão cruzados com os dos pacientes que precisam de transplante de medula óssea constantemente. Se você for compatível com algum paciente, outros exames de sangue serão necessários.

Se a compatibilidade for confirmada, você será consultado para confirmar que deseja realizar a doação. Seu atual estado de saúde será avaliado.

A doação é um procedimento que se faz em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, e requer internação por um mínimo de 24 horas. Nos primeiros três dias após a doação pode haver desconforto localizado, de leve a moderado, que pode ser amenizado com o uso de analgésicos e medidas simples. Normalmente, os doadores retornam às suas atividades habituais depois da primeira semana.

Importante

Um doador de medula óssea deve manter seu cadastro sempre atualizado. Caso haja alguma mudança, preencha este formulário.

O Transplante de Medula Óssea é a única esperança de cura para muitos portadores de leucemias e outras doenças do sangue.

Quem não pode doar (Fonte: http://redome.inca.gov.br/doador/doencas-impeditivas-do-cadastro-e-da-doacao/)

Doenças que impedem a doação de medula óssea, impossibilitando que a pessoa se torne um doador cadastrado ou ocasionando o cancelamento do cadastro no REDOME (Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea)

AIDS / HIV
-Pessoas diagnosticadas com HIV (AIDS) não poderão realizar o cadastro no REDOME

HEPATITE
O cadastro será permitido nos seguintes casos:
– Vacinação para prevenção de Hepatite
– Histórico de tratamento completo de Hepatite A

Não será permitido o cadastro em casos de:
– Diagnóstico das Hepatites B e C
– Portadores do vírus das Hepatites B e C (conhecido como infecção crônica)

CÂNCER
– Histórico de lesões pré-cancerosas
– Câncer de pele localizado (células basais ou células escamosas)
– Melanoma in situ curado
– Câncer cervical in situ curado
– Câncer de mama curado
– Câncer de bexiga curado

DOENÇAS AUTOIMUNES
O cadastro será permitido nos seguintes casos:
– Tireóide de Hashimoto e Doença de Grave tratadas com sucesso e situação clínica estável

Não será permitido o cadastro em casos de:
– Artrite Reumatóide
– Lupus
– Fibromialgia
– Esclerose Múltipla
– Psoriase
– Vitiligo
– Síndrome de Guillain-Barre
– Púrpura
– Síndrome Antifosfolipidica
– Sindrome de Sjogren
– Doença de Crohn
– Espondilite Anquilosante

EPILEPSIA
O cadastro é permitido nos casos da doença controlada, com ausência de convulsões no último ano.

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS
O cadastro é permitido em casos de doenças sexualmente transmissíveis, como Herpes, HPV, Clamídia e Sífilis.

DIABETES
Pessoas diagnosticadas dom Diabetes deverão consultar o seu médico para analisar a atual situação clínica:
– Geralmente, diabetes bem controlada, seja por dieta ou medicamento, será permitido o cadastro.

– Nos casos de Diabetes em que é necessário o uso de insulina ou outra medicação injetável para tratar a própria doença ou doenças renais, cardíacas, do nervo ou dos olhos (relacionadas com a Diabetes), o cadastro não será permitido.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Governo recebeu denúncias de incêndios criminosos, diz porta-voz de Bolsonaro

Bolsonaro diz que reforma administrativa pode ser enviada junto com a tributária ao Congresso

Guarda Civil Municipal apreende pipas e carretéis de linha com cerol na Zona Norte

Policial militar é recebida com violência durante confusão em bairro

Marco Feliciano é expulso do Podemos devido a apoio a Bolsonaro em 2018

"Um Lindo Dia na Vizinhança" e a força do amor ao próximo