Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Estudantes da nona série investem amor na Páscoa

Postado em: 20/04/2019

Compartilhe esta notícia:

Por Vanderlei Testa 

Em 1971, ano em que frequentava a Faculdade de Administração de Empresas, havia em Sorocaba três empreendedores visionários e sonhadores além da imaginação das aulas de gestão corporativa.

Luiz Castanho, Oscar Vieira e Luiz Samuel Tabacow eram os personagens. Cada um com sua profissão, Luiz engenheiro e administrador, Oscar, engenheiro e professor, Samuel, médico e professor.

No cursinho que fiz em 1970 para ingressar na faculdade já se falavam deles como especialistas em preparação aos vestibulares. Hoje sou amigo do Luiz Castanho e do Oscar, cujo saudoso pai também deixou um legado de vida na arte da tesoura e dos tecidos em sua alfaiataria e que tive o prazer de escrever um artigo contando a sua história.

Quis o destino ou a providência divina que eles, mesmo sem se conhecerem na década de 70, acabassem por formar um time de vencedores na educação, consolidada há 48 anos como um dos sistemas de ensino de Sorocaba que mais se desenvolveu. São muitos milhares de alunos.

E foi no ano da minha formatura, em 1973 que esse trio de educadores comprou o Instituto de Educação Ciências e Letras, do saudoso amigo Luizito Marins, uma das pessoas que mais admiro da cultura e da educação no Brasil.

com o nome de Colégio Pré-Universitário em 1974, era apenas uma questão de tempo subir os degraus da escada do sucesso no futuro. Com a meta profissional de crescerem na área educacional, assumiram o “Programa Objetivo de Ensino que vinha em sua fase inicial conquistando as lideranças da educação no Brasil.

Minha história deste artigo nesta semana começa em 1990 na inauguração do Objetivo Portal, do Campolim, que nestes 29 anos continua inovando com os seus diretores Luiz Castanho, Oscar Vieira e Samuel Tabacow e uma equipe de professores altamente especializados, uma metodologia de ensino e de empreendedorismo nos alunos.

Esta visão de inovação escolar acompanhei com os alunos da nona série neste mês de abril para buscarem resultados sociais aos pacientes da Santa Casa de Sorocaba.

Tudo começou quando a aluna Isabella e amigas conversaram com o coordenador e professor Carlos Miranda de Souza Camargo sobre a ideia de convidar um palestrante para o tema “Empreendedorismo”.

O nome indicado do profissional para falar aos alunos era o próprio pai da aluna Isabella, um advogado com mais de 20 anos de experiência em empreender.

Em casa, reunida em família, Isabella contou o fato da proposta que ela e as amiguinhas fizeram na escola e o convite direto ao pai, praticamente intimando ele, Alexandre Valera, a realizar a palestra. Certamente que ficou emocionado com a referência de seu nome e “topou”, como disse a filha ao professor. “Meu pai topou”.

O tema empreendedorismo foi apresentado no dia 9 de abril no auditório do Colégio Objetivo a mais de 30 alunos da turma. Eu fui lá assistir como convidado. Soube que no final da palestra haveria a sugestão de uma iniciativa em ser concretizada como ação social de mobilidade urbana.

Essa ação consistia dos alunos da escola doarem 100 unidades de bombons de determinada marca e custo baixo.

O objetivo do projeto “Jovens Empreendedores após a arrecadação dos chocolates, era vende-los aos estudantes do colégio pelo valor de R$ 5,00 cada unidade e, com a renda total adquirir uma cadeira de rodas à ser doada à Santa Casa de Sorocaba.

O tempo pascal de amor ao próximo aliado ao empreendermotivaram esses jovens na faixa dos 14 anos de idade para um ato concreto de solidariedade. Já nos dias seguintes da palestra, os chocolates foram chegando à escola e os alunos da organização do projeto, saindo a campo para vender.

O resultado é que neste tempo de Páscoa, onde o símbolo do chocolate nos ovos invadem as prateleiras dos supermercados, uma centena de bombons resultou em bondade e fraternidade humana das mais significativas.

Os pacientes do Sistema Único de Saúde- SUS que diariamente  utilizam dos serviços do hospital, com dificuldades de locomoção poderão usufruir em  breve de um instrumento como a cadeira de rodas para atravessar as alas da Santa Casa.

Uma história com final feliz que serve de exemplo e que poderá ter a sua continuidade em muitas outras ações sociais em qualquer escola de Sorocaba. Basta apenas que um pequeno grupo de alunos tome a iniciativa de repetir e compartilhar essa experiência de vida dos jovens empreendedores.

Com certeza na fase adulta de cada aluno, estará na memória esse fato de um dia de Páscoa de 2019 onde tiveram como  “coelhinhos” multiplicado bombons de amor ao próximo. Esse amor é o real significado da data da Páscoa.

E para os fundadores Luiz Castanho, Oscar Vieira e ao Samuel Tabacow fica mais esta alegria em verem os frutos do seu empreendimento educacional na cidade com esses jovens inovadores dando um testemunho de vida de respeito e solidariedade.

 

width=2576

Vanderlei Testa é jornalista e publicitário

@artigosdovanderleitesta

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Após candidatura de Lula barrada pelo TSE, PT tem dez dias para indicar substituto

STF arquiva inquérito sobre Aécio e maquiagem de dados na CPMI dos Correios

Falas de Bolsonaro contra isolamento podem ter matado mais seus eleitores, aponta estudo

Motorista da Uber é morta com dois tiros no pescoço

PM usa arma de choque para imobilizar homem e libertar mulher feita de refém

Após pressão do Supremo, Bolsonaro demite Weintraub do Ministério da Educação