Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Estudante de veterinária amputa patas de cão saudável para testar conhecimentos

Postado em: 27/10/2018

Compartilhe esta notícia:

Em Goa, na Índia, um estudante de medicina veterinária amputou as patas traseiras de um cachorro para praticar com ele como se fosse seu paciente. Prince tem apenas um ano e dois meses de idade e foi encontrado em um campo chorando desesperadamente. O cão estava enrolado debaixo de uma árvore.

width=600
Prince foi localizado por um homem chamado Chris Holmyard, que estava levando seu cachorro para passear. Depois de encontrá-lo, o homem não hesitou em levá-lo a um centro veterinário e foi lá que eles perceberam que a amputação de suas patas traseiras tinham sido realizada de forma desnecessária por um estudante de veterinária.

“Eu estava caminhando com meu cachorro perto da praia de Miramar e um homem me informou que outro cão estava em perigo”, disse. “Ele tentou fugir quando eu o encontrei, mas não foi muito longe até que eu o peguei e percebi, para minha total descrença, suas pernas não estavam lá”, acrescentou.

Chris decidiu levar Prince a uma organização de resgate de animais, porque parecia saudável, apesar de não ter suas pernas traseiras, mas, quando foi deixado no local, o cão começou a se deteriorar, estava magro, sujo e repleto de carrapatos, então o homem não hesitou em levá-lo com ele.

width=600
(Foto: Caters News Agency)

Prince foi, então, levado a mais uma consulta veterinária e a notícia foi desmotivadora: o cão deveria ser sacrificado porque sua qualidade de vida em um abrigo não poderia ser boa devido à sua condição e, por essa razão, as chances de alguém querer adotá-lo eram muito baixas. Sabendo que não poderia deixar a vida de Prince terminar assim, Chris decidiu adotá-lo.

Chris está preparando seu retorno ao Reino Unido e está determinado a levar o Prince com ele. É impossível para ele abandoná-lo. Este está fazendo todo o possível para arrecadar £ 3.900 que serão utilizados para pagar a viagem dele com cão e, posteriormente, conseguir uma cadeira de rodas especial para facilitar sua vida.

“Eu realmente quero mantê-lo comigo na minha nova casa”, concluiu.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Incêndio em área que abrigava pás eólicas gera multas de mais de R$ 500 mil

Elevador despenca do 9º andar de prédio e 4 pessoas morrem

Contra covid-19, Guedes defende "passaporte de imunidade" para retomada da economia

Policial militar da Grande SP é atropelado por motorista bêbado

Câmara aprova PL que aumenta pena para maus-tratos a animais e zoofilia

Desbancamos figurões que achavam que ganhariam a eleição, diz Bolsonaro