Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Em meio a pandemia, Câmara do DF aprova plano de saúde vitalício a ex-deputados

Jovem Pan News
Postado em: 22/05/2020

Compartilhe esta notícia:

Renato Machado, da Folhapress

Em meio à pandemia do novo coronavírus, a Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou na quarta-feira (20) uma mudança no projeto do plano de saúde para os próprios deputados e seus familiares para torná-lo vitalício, englobando também ex-parlamentares.

A emenda substitutiva que permitiu a mudança foi incluída pela Mesa Diretora da Câmara Legislativa.
Ela prevê alterar as regras de vigência do chamado Fascal (Fundo de Assistência à Saúde dos Deputados Distritais e Servidores da Câmara Legislativa).

O plano de saúde previa que parlamentares estariam cobertos por um período de dois anos depois do fim do mandato.

Além de estender a cobertura para ex-parlamentares e ex-servidores, o novo texto aprovado prevê como beneficiários do Fascal seus "dependentes e pensionistas".

Após repercussão negativa da aprovação do benefício em meio à crise da Covid-19, deputados assinaram nesta quinta-feira (21) um pedido de revisão da sessão que aprovou a mudança no plano.

Pela proposta aprovada, a Câmara Legislativa também deve agora ressarcir ao plano "as despesas dos ex-deputados distritais e seus dependentes que ultrapasse o valor mensal das contribuições individuais do titular e seus dependentes", afirma o texto, em seu artigo 7.

A justificativa para a mudança é garantir que o fundo, "sempre ameaçado por problemas financeiros, possa cumprir o seu objetivo de garantir a saúde dos servidores e parlamentares da Câmara Legislativa".

O plano de saúde é mantido pela Câmara Legislativa do Distrito Federal, que repassa 6% de sua receita para abastecê-lo. O projeto visava aumentar o porcentual destinado pelos parlamentares e servidores que aderiram ao plano.

O texto prevê também que ex-servidores arquem com uma participação maior, em relação aos que ainda estão em atividade. Além disso, está previsto que os ex-servidores, para terem direito à cobertura, devem ter um período mínimo de dois anos de contribuição.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

1º dia do mutirão de ortopedia atende 95 pacientes; 25 faltaram

Servidores da prefeitura prestaram depoimentos na CPI do Falso Voluntariado

Apesar de crescimento no interior, SP tem 1ª semana com redução de mortes por coronavírus

Use seu tempo livre de forma inteligente

Universitário cria respirador emergencial 28 vezes mais barato que os comprados pelo governo

Polícia prende em flagrante mulher que entregaria tijolo de maconha e whisky a detento