Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Doria se solidariza com secretário preso e o avalia como dentro das expectativas

Arquivo
Postado em: 07/08/2020

Compartilhe esta notícia:

Isabela Palhares e João Gabriel, da Folhapress

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), se pronunciou publicamente pela primeira vez sobre a prisão de seu ex-secretário de transportes metropolitanos, Alexandre Baldy (PP).

"Lamento o ocorrido e me solidarizo com ele e sua família, mas quero lembrar que nenhum [fato investigado é] relacionado ao estado de São Paulo", afirmou o governador nesta sexta-feira (7), no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista.

O tucano avaliou a gestão de Baldy na Secretaria de Transportes Metropolitanos como "correta, dinâmica e dentro das expectativas".

"Ele saberá fazer a sua defesa e apresentar seus documentos e com certeza o fará e muito bem", completou, afirmando que confia na Justiça.

Baldy foi preso pela Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (6) em São Paulo e pediu licença do cargo por um mês para se defender.

Ele foi um dos alvos de seis mandados de prisão temporária expedidos pela 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro, comandada pelo juiz Marcelo Bretas.

Segundo o Ministério Público Federal, Baldy é um dos investigados por um "esquema que apura pagamento de vantagens indevidas a organização criminosa que negociava e intermediava contratos em diversas áreas".

Na casa que Baldy mantém em Brasília os agentes federais apreenderam R$ 90 mil, guardados em dois cofres. Em outra residência do secretário, em Goiânia, a PF achou mais R$ 110 mil.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Jaqueline assina convênio para instituição de repúblicas para Jovens; custo pode superar R$ 430 mil

Crepe de chocolate recheado com doce de leite e crumble de nozes

Corpo de Bombeiros busca por idoso desaparecido em Votorantim

Superior Tribunal de Justiça julga em 2020 mensalidades por faixa etária de planos de saúde

Itu confirma caso suspeito de Coronavirus; Sorocaba e São Roque também registraram casos

Mãe é acusada de matar filha de 2 anos e esconder o corpo em mala