Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Doria diz que Datena "não é médico" em discussão ao vivo sobre Coronavac

Foto: reprodução
Postado em: 23/10/2020

Compartilhe esta notícia:

FOLHAPRESS

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e o apresentador da TV Bandeirantes José Luiz Datena discutiram nesta quinta-feira (22) sobre isolamento social e a briga entre Doria e o presidente Jair Bolsonaro em torno da Coronavac, a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.


Durante entrevista do tucano ao programa Brasil Urgente, Datena perguntou por que o governador dizia que "o pior [da pandemia] já passou" e ainda assim brigava tanto pela vacina. O político retrucou e afirmou que Datena não era médico para discutir sobre o assunto e que deixava a questão para os especialistas do Centro de Contingência do Coronavírus estadual.


"Datena, volto a repetir para você: são 20 médicos especialistas que cuidam disso, não é determinação minha e nem será sua, com todo respeito que você merece, mas você fica insistindo nisso. Você não é médico, não é infectologista, não é especialista. Por isso eu sigo as orientações dos médicos", afirmou Doria.


"Nem o senhor é médico", respondeu o jornalista. "Quantas pessoas morreram hoje em São Paulo? São 111 pessoas que morreram em São Paulo [em 24 horas]. É quase a metade da França inteira, quase que o total da Espanha inteira, e lá os caras estão fechando tudo e aqui a gente está em fase amarela", retrucou Datena, criticando o plano de reabertura do governo estadual.


Na verdade, morreram 147 pessoas na França e 156 na Espanha nesta quarta (21), segundo a universidade Johns Hopkins. São Paulo tem regiões na fase amarela do plano de reabertura gradual e outras regiões na fase verde, como a capital.


A entrevista começou com o apresentador questionando Doria sobre a afirmação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de que não compraria a Coronavac mesmo se ela fosse autorizada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).


A declaração foi dada à Jovem Pan. Bolsonaro alegou que existe um "descrédito muito grande" em relação à origem do imunizante e sugeriu que não aceitará ser vacinado contra a doença.


Doria reafirmou que considera a declaração do presidente criminosa. "Se [Bolsonaro] confirmar o que foi publicado hoje nos sites de notícia, de que mesmo com a aprovação da Anvisa ele vai negar o acesso à uma vacina que salva vidas de brasileiros, essa será uma atitude criminosa e ele poderá ser classificado como tal", disse.


"Como pode um presidente da República diante de uma pandemia dizer que não vai colocar a vacina à disposição da população porque ele não quer? É homicídio, é uma ação criminosa", seguiu Doria.


Segundo o governador, caso isso ocorra, ele pode recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal).


Datena também questionou o governador sobre o fato de o diretor-geral do Instituto Butantan, Dimas Covas, ter dito que a Anvisa está retardando a autorização para a importação da matéria-prima da farmacêutica Sinovac que possibilitará a fabricação da vacina chinesa no Brasil.


"Apesar da situação protelatória, nós aceitamos a manifestação da Anvisa de que no próximo dia 4 [de novembro] terá uma reunião para liberação da importação dos insumos. Não aplicaremos a vacina sem autorização, mas não faz sentido adiar", afirmou Doria, que disse ter saído "muito bem impressionado" de uma reunião nesta quarta-feira (14) com o diretor-presidente da Agência, o contra-almirante da Marinha Antonio Barra Torres.


Até agora, disse, "não temos razão para duvidar da isenção da Anvisa. Mas, se a Agência tiver comportamento protelatório para atender a pressões do presidente Boslonaro, eu denunciarei isso publicamente e agirei judicialmente. Espero que a Anvisa cumpra seu papel como tem cumprido até aqui."

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Jovem é baleado durante briga em baile funk na Zona Norte; vítima foi encaminhada à UPA

Chamado de ‘ejaculação precoce’, Doria compara fala de Bolsonaro à de Lula

Polícia prende homem transportando 70 tijolos de cocaína na região de Sorocaba

Navio de guerra russo ameaça atingir destróier americano no Pacífico

Dez capitais apresentam sinais de crescimento de covid-19, diz Fiocruz

Sorocaba está habilitada pelo Ministério do Desenvolvimento para receber maquinário pesado