Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Doria anuncia plano para criação de 2 milhões de empregos em até quatro anos

Jovem Pan News
Postado em: 16/10/2020

Compartilhe esta notícia:

Jovem Pan News

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou, na tarde desta sexta-feira, 16, o Programa Retomada 21/22, criado para atrair investimentos, gerar empregos e auxiliar na retomada a economia do estado nos dois próximos anos. Em coletiva no Palácio dos Bandeirantes, Doria afirmou que projeto visa atrair R$ 36 bilhões de reais em investimentos nacionais e multinacionais, e criar dois milhões de empregos em até quatro anos. O plano foi idealizado pelo secretário de Fazenda e Planejamento do estado, Henrique Meirelles, ex-ministro da Fazenda e ex-presidente do Banco Central (BC). Segundo Meirelles, as diretrizes da proposta foram balizadas por dados do BC, que indicaram que o Produto Interno Bruto (PIB) de São Paulo cresceu 2,8% em 2019, mais do que o dobro do índice nacional, que foi de 1%.

O plano de retomada terá seis eixos, entre eles a oportunidade de investimentos na infraestrutura do estado, a facilitação à produção das empresas, o desenvolvimento sustentável, redução da desigualdade social através da geração de emprego e internacionalização da economia. Mais de 80% dos investimentos estarão voltados para transporte, mobilidade e rodovias. Entre as oportunidades estão o “Trem Intercidades”, para ligar São Paulo a Campinas, com investimento previsto de 1,4 bilhões de dólares; a concessão das linhas 8 e 9 da CPTM (500 milhões de dólares); a concessão das rodovias do litoral de São Paulo (600 milhões de dólares); a concessão de 22 aeroportos regionais (80 milhões de dólares), do zoológico e do Jardim Botânico (70 milhões de dólares), e do complexo Ibirapuera (200 milhões de dólares).

O anúncio do plano de retomada ocorre na mesma semana em que a Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovou o texto-base do projeto de ajuste fiscal para 2021. O substitutivo do deputado estadual Alex de Madureira (PSDB) foi aprovado por 48 votos a favor e 37 contra. O governo afirma que a reforma administrativa é necessária diante do rombo de R$ 10,4 bilhões no orçamento. O projeto prevê a extinção da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbana (CDHU), e da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU), Também serão extintas a Fundação Parque Zoológico e o Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp). Durante a votação, a Alesp retirou o trecho que previa a extinção da Fundação para o Remédio Popular (Furp), da Fundação Oncocentro (Fosp), do Instituto de Medicina Social e de Criminologia (Imesc) e da Fundação Instituto de Terras (Itesp).

 

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Polícia prende mentor de roubo de 770 quilos de ouro no aeroporto de Guarulhos

Esquadrilha da Fumaça se apresenta nesta 5ª na região do Palácio dos Tropeiros

Ladrão rouba carro com criança de 3 anos dentro na zona leste de SP

Centro de Radioterapia da Santa Casa de Sorocaba é inaugurado nesta terça

Carteiro é acusado de esfaquear PM durante briga em churrasco

Pense Pink promove seminário