Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Dia da Mulher: especialista dá dicas de como denunciar o assédio sexual no trabalho

Postado em: 03/03/2019

Compartilhe esta notícia:

Dia 8 de março é o Dia Internacional da Mulher, mas a data, além de um dia para prestar homenagens, também serve de holofote para alguns problemas que as mulheres enfrentam diariamente, como por exemplo, o assédio sexual no trabalho. Uma pesquisa do Datafolha publicada em janeiro de 2018 apontou que uma parcela de 42% das brasileiras com 16 anos ou mais declarou já ter sofrido algum tipo de assédio sexual, sendo a no trabalho a terceira forma mais comum, atrás somente do assédio nas ruas e no transporte público.

Mariana Souza, advogada atuante na Advocacia Mendes Oliveira, em Sorocaba/SP, afirma que assédio sexual no trabalho pode ser configurado de duas formas. A primeira delas é chantagem, quando um trabalhador em grau hierárquico superior exige favores sexuais em troca de melhores condições de salário, emprego, ou até mesmo da manutenção do cargo; e a segunda assédio sexual através de intimidação, podendo ser praticado por qualquer colega de trabalho em situação de humilhação ou intimidação.

“É importante, ainda, salientar que o assédio sexual é entendido como uma conduta repetitiva e com a exigência da imposição da vontade do assediador, mas também pode ocorrer como um único ato, no caso do assediador agarrar a vítima, sendo isso suficiente para configurar o ato, tendo em vista a violência utilizada”, afirma Mariana.

A advogada também afirma que o ato pode ser provado de modo testemunhal, ou através de documentos emitidos pelo assediador, como mensagens, bilhetes ou e-mails. “É ideal que a vítima repudie o assediador e reporte o caso ao seu superior, mas caso o assédio venha a ocorrer por parte do mesmo, a pessoa deve informar à direção da empresa o ocorrido. Quando o assédio é cometido pelo detentor do cargo mais alto, a pessoa assediada pode rescindir indiretamente o contrato de trabalho”.

Mariana ainda diz que a empresa pode ser condenada a pagar indenização por danos morais no caso do assédio provado, pois, segundo a lei, a empresa é responsável pelos atos praticados por seus funcionários, sendo ela a responder pelo processo trabalhista.

“Na dúvida sobre a configuração de um ato como assédio, ou da validade de uma prova, procure seu advogado de confiança. Não deixe de denunciar, pois o assediador pode vir a agir novamente, seja com você ou outra pessoa”, salienta a especialista.

Assédio sexual é considerado crime, segundo a Lei 10.224/2001, e pode resultar em detenção de um a dois anos. Denuncie!

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Vereador questiona Crespo sobre nova área para construção do Hospital Municipal

GCM localiza carro furtado em área verde do Parque Esmeralda

Dois meses depois, Secretaria de Educação entrega kits escolares em escola municipal

Creche no Maria Eugênia é invadida e furtada pela quarta vez desde julho

Inscrições para processo seletivo para contratação de PEB II em Sorocaba já estão abertas; confira

Loja Segredos de Sophia é inaugurada