Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Crivella pede desculpas ‘por excessos’ após xingar Doria de ‘vagabundo’

Jovem Pan News
Postado em: 19/11/2020

Compartilhe esta notícia:

Jovem Pan News

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), se desculpou na manhã desta quinta-feira, 19, por ter xingado o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). “A fala foi um momento de revolta pelas OSs reterem o salário de médicos e enfermeiros mesmo tendo recebido da prefeitura. Em tempos de pandemia isso pode custar vidas. Peço desculpas pelos excessos, e ao governador João Doria”, escreveu Crivella nas redes sociais. No vídeo, divulgado em uma conta pertencente a Sandro Avelar, presidente da escola de samba Império Serrano e apoiador do candidato Eduardo Paes (DEM), que disputa o segundo turno com Crivella, o atual prefeito chamava o governador de “vagabundo”, “mentiroso” e “veado”.

“Canalha, esse discurso vagabundo, mentiroso. Eu entrei na justiça contra esses vagabundos. Tá vendo o que eles fizeram? Eu dei o dinheiro para pagar os funcionários, eles pegaram, pagaram fornecedor que tinha que pagar dia 10 de dezembro. E faltou dinheiro. Sabe de quem é essa OS? Essa OS é de São Paulo, é do Doria, veado, vagabundo!”, disse Crivella na gravação, feita durante uma reunião do partido, na noite de quarta-feira, 18, com filiados que disputaram a eleição para vereador. No Twitter, Doria lamentou as declarações do prefeito do Rio. “Lamento que o prefeito do Rio de Janeiro, um pastor que deveria ser um exemplo, faça ataques, use palavrões e o preconceito para se referir a um governador. O prefeito Crivella se apequena e lamentavelmente encerra seu ciclo de forma melancólica”, escreveu o governador. Segundo pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira, 18, o candidato do DEM à Prefeitura do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, está na liderança, com 69% dos votos válidos, contra 31% do atual prefeito – este é o primeiro levantamento do instituto com a simulação do segundo turno. No domingo, 15, Paes recebeu 974.804 votos (37,01%), e Crivella, 576.825 votos (21,90%), segundo apuração oficial do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

 

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Ciro, Haddad, Boulos e Dino pedem renúncia de Bolsonaro em manifesto

Com adesão de professores à greve, escolas municipais cancelam aulas

Cada brasileiro infectado passou o coronavírus para outros 3, aponta pesquisa

Prefeitura de Sorocaba define uso de cartão magnético na entrega de alimentação escolar

Bolsonaro desautoriza e depois recua, mas segue fritando Regina Duarte

Oficinas culturais estão com inscrições abertas para o mês de outubro