Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Crespo tem 10 dias para apresentar defesa à comissão que pode cassá-lo

Postado em: 07/05/2019

Compartilhe esta notícia:

Após receber a notificação a respeito da Comissão Processante que tem o poder de cassar seu mandato, o prefeito José Crespo agora tem 10 dias para apresentar sua defesa. O democrata foi notificado na manhã desta segunda-feira (6) e o prazo já está correndo.

A comissão foi instalada na Câmara Municipal para apurar denúncia de infração político-administrativa. A notificação foi entregue às 11h12 desta segunda pelos vereadores membros da comissão, o presidente Silvano Junior (MDB), o relator Hudson Pessini (MDB) e o terceiro membro, Rafael Militão (MDB).

A comissão analisa denuncia protocolada por Salatiel Hergesel, com base nas investigações da Operação Casa de Papel e nos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Falso Voluntariado.

O prefeito José Crespo foi intimado após uma ausência de cinco dias. Na tentativa de notificá-lo, os vereadores enfrentaram dificuldades. Em uma das ocasiões, chegaram a encaminhar um assessor até à residência do democrata, que ficou algumas horas de plantão aguardando ele aparecer, sem sucesso. Segundo informações da Prefeitura, o prefeito cumpriu agendas em São Paulo relativas ao cargo como também consultas médicas, tanto na quinta como na sexta-feira.

O presidente do Legislativo, Fernando Dini (MDB), chegou a cogitar durante a sessão legislativa da última quinta-feira (2) em publicar a intimação no Jornal Município de Sorocaba e em outros veículos de comunicação, para que o prazo começasse a valer.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Lenda dos palcos, atriz e cantora Bibi Ferreira morre aos 96 anos

Bolsa Família com 13º é cavalo de pau, diz Fernando Haddad

Pai do deputado Vitor Lippi morre por coronavirus em Sorocaba

Moradores enfrentam e agridem PMs durante abordagem policial Pilar do Sul

Joice diz que SP só teve prefeito ‘ladrão ou incompetente’ e promete prender Boulos; assista

COVID-19: quando é considerada doença ocupacional?