Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Crespo ataca até origem de ex-secretário: “nem é de Sorocaba”; lei considera crime

Postado em: 19/04/2019

Compartilhe esta notícia:

O prefeito José Crespo, ao falar de seu ex-secretário de Comunicação investigado na operação Casa de Papel, referiu-se a ele, em vídeo, como alguém “que nem é de Sorocaba, não tem raízes aqui”. Assista abaixo

Eloy de Oliveira é nascido na cidade de Pederneiras (SP), localizada a 260 quilômetros de Sorocaba. Segundo a Lei Federal nº 9.459 de 1997, artigo 20, “praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional” é crime, com pena prevista de um a três anos de prisão e multa. Conforme o artigo 2º, “se a injúria consiste na utilização de elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem”, a pena é de reclusão de um a três anos e multa.

O jornalista atuou com Crespo por cerca de 5 anos, até pedir exoneração semana passada para trabalhar em sua defesa. A “Casa de Papel” investiga suspeita de contratos fraudulentos na Prefeitura de Sorocaba no valor de R$ 25 milhões. No total, são 10 investigados, entre eles dois empresários e outros dois ex-secretários de Crespo, Werinton Kermes (Cultura) e Hudson Zuliani (Licitações e Contrato).

Crespo atacou a ligação de Eloy com Sorocaba em um momento de crise em seu governo, ao acusá-lo de mentir e ser “mentor de esquema de corrupção” após o ex-titular da Secom denunciar, durante depoimento à Polícia Civil, o salário de R$ 11 mil a Tatiane Polis, que atuava como voluntária para o prefeito, e vários e-mails que demonstram o poder de atuação que ela tinha ao lado do chefe do Executivo.

width=1174
Prefeito José Crespo e Eloy de Oliveira

Ocorre que o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostra que a cidade é acolhedora no âmbito da migração, no sentido de receber pessoas vindas de outros municípios e estados para trabalhar e/ou morar na cidade. De acordo com os dados, referentes ao Censo 2010, 44% dos residentes em Sorocaba não são naturais da cidade/estado.

Dentro da estatística, Eloy está inserido nos 63% do número de pessoas que nasceram fora do município, mas no Estado de São Paulo. Antes de trabalhar na Prefeitura de Sorocaba, Eloy, jornalista atuante desde 1985, já trabalhou em outras cidades como Campinas, Jundiaí e Piracicaba.

O caso acontece aos 2:25 do vídeo. Na gravação Crespo ainda chama seu ex-secretário de “mau elemento e mentor de esquema de corrupção”. Veja

Compartilhe: