Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Crespo aparece em redes sociais para dizer que “acusações são falsas”

Postado em: 04/10/2019

Compartilhe esta notícia:

O prefeito cassado José Crespo (DEM) fez uma postagem nas redes sociais, durante a tarde desta última quinta-feira (3), para se posicionar a respeito de seu indiciamento dentro da operação ‘Casa de Papel’, feita pela pela Polícia Civil em conjunto com o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), que investiga crimes cometidos por agentes públicos da Prefeitura de Sorocaba, como organização criminosa, desvio de dinheiro, corrupção ativa, peculato e furto.

Conforme Crespo, “todas as acusações lançadas contra mim são falsas e inconsistentes, vindas de pessoas com interesses venais que contrariei enquanto prefeito”. Ainda, o prefeito cassado afirma que apresentará defesa técnica. “Acredito que a verdade e a justiça prevalecerão”, finaliza o texto.

width=493

No total, 12 pessoas serão indiciadas pela Polícia Civil. O primeiro nome a aparecer na lista é o do então prefeito de Sorocaba, o qual, segundo a apurou a investigação, “exerceria o evidente comando da organização criminosa”.

Conforme o documento redigido pela polícia, “sob a liderança do então prefeito”, agentes
públicos, secretários municipais e empresários desviaram “vultuosas quantias de dinheiro público em benefícios próprios ou alheios”. Para cometer os crimes, os envolvidos se associavam a empresários e somavam dezenas de contratos públicos milionários no intuito de fraudá-los.

À imprensa, Crespo sempre negou envolvimento em qualquer tipo de crime.

Leia a reportagem completa sobre os indiciados aqui.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Prefeitura estima impacto financeiro de R$ 460 milhões por causa da pandemia

Mairinque soma 18 mortes por Covid-19

Trecho da Rua Joaquim Gregório de Oliveira será bloqueado no domingo para obras

Domingo tem Escola do Pedala no Parque das Águas

Mulher de 60 anos morre com suspeita de Coronavírus; Sorocaba tem 244 casos aguardando exames

Acusados de injúria racial no Mineirão querem se desculpar com segurança