Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

CPI da Cies: parecer de prorrogação contratual foi assinado por comissionado

Postado em: 11/09/2018

Compartilhe esta notícia:

Por Cida Muniz

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da ‘Tenda dos Milagres’, que investiga o contrato da Prefeitura de Sorocaba com a Cies Global, ouviu três depoentes, na seguinte ordem: o ex-secretário municipal de Saúde, o advogado Rodrigo Moreno; Mateus Ramos, que exerceu o cargo de Diretor de Área da Secid (Secretaria da Cidadania) e hoje ocupa o cargo de Diretor de Planejamento da Urbes; e o secretário de Licitações e Contratos, Hudson Zuliani.

O primeiro a depor na oitiva da CPI  foi Rodrigo Moreno. O depoimento foi curto, pois após ser fechado o contrato com a Cies Global, que instalou contêineres e tendas na UBS (Unidade Básica de Saúde) do Jardim São Guilherme, ele deixou o cargo. Moreno ficou à frente da secretaria somente nos dois primeiros meses de funcionamento da Cies Global, sendo que no primeiro mês a empresa estava se instalando e no segundo mês começou a funcionar, mas não na sua totalidade.

Já Ramos foi bastante questionado pelos componentes da CPI, principalmente a vereadora Iara Bernardi (PT), que ocupou o lugar do relator, Francisco França (PT), que não pôde comparecer hoje, e o presidente da CPI, vereador Hudson Pessini (MDB).

Em síntese, Ramos confirmou que dava pareceres técnicos e ele fez o parecer para que o contrato com a Cies Global fosse prorrogado. Conforme os depoimentos, a empresa pediu a prorrogação e essa foi aceita, sendo que a Secretaria da Saúde não havia pedido a prorrogação. Inclusive, em depoimento, o ex-secretário da Saúde, Ademir Watanabe, havia solicitado, após a visita técnica, que encontrou pessoas que haviam passado pelo mesmo exame diversas vezes no mesmo dia, o que motivou a abertura de uma auditoria.

O terceiro a depor foi o secretário Zuliani. Aparentando nervosismo, ele foi respondendo as perguntas, mas Iara, Pessini e a vereadora Fernanda Garcia (PSOL) consideraram as respostas inconclusivas.

Iara apontou que não havia motivo para prorrogar o contrato com a Cies Global, pois as metas não estavam sendo atingidas. Ela considerou que a Secretaria de Licitação poderia ser extinta, pois não atinge o objetivo de fiscalizar. Zuliani afirmou que o parecer poderia ser emitido por Ramos, até porque só havia um procurador na pasta.

A CPI pretende fazer um levantamento técnico nos contratos e solicitar o depoimento de pessoas que trabalharam na Cies Global.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Irmão afirma que Sara Winter não pode viver em sociedade e se diz feliz com prisão

Zona Azul amplia vagas nos entornos do Conjunto Hospitalar

Juiz arquiva inquérito da facada, mas diz que caso pode ser reaberto se houver novos elementos

Contribuinte tem até esta terça-feira para declarar o Imposto de Renda

Crespo determina estudo para construção de nova sede administrativa da prefeitura

Incêndio interdita ponte do Jaguaré e interrompe trânsito na Zona Oeste de SP