Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Câmara proíbe isopor e endurece lei para ferros-velhos e desmanches

Postado em: 14/02/2019

Compartilhe esta notícia:

A Câmara de Sorocaba aprovou nesta quinta-feira (14) dois projetos de lei que endurecem a vida de comerciantes da cidade. Os vereadores proibíram o uso de embalagens de isopor pelo comércio alimentício e também novas regras para o licenciamento de empresas do ramo de sucata, ferro-velho, desmanche e similares, com o objetivo de coibir os furtos de cabos e fios de cobre e alumínio no município.

Foi aprovada em segunda discussão, durante a 4ª sessão ordinária da Câmara Municipal de Sorocaba, a proposta que veta o uso de isopor pelo comércio alimentício. O Projeto de Lei nº 246/2018, de autoria do vereador João Donizeti Silvestre (PSDB), proíbe o uso de embalagens de poliestireno expandido (isopor) em restaurantes, lanchonetes, bares e similares, barracas e por parte de vendedores ambulantes.

Os estabelecimentos citados deverão substituir copos e embalagens por produtos de origem biodegradável ou reciclável, entre outros materiais que se distinguem do poliestireno, sob pena de multa. A proposta foi aprovada com duas emendas, uma delas prevendo que a proibição entrará em vigor em 1º de novembro de 2019.

Antes, abrindo a ordem do dia, cinco projetos remanescentes das sessões anteriores foram aprovados em primeira discussão pelos vereadores começando pelo Projeto de Lei nº 293/2018, de autoria do Executivo, que encampa proposta original do vereador Fernando Dini (MDB), presidente da Casa, visando alterar regras sobre o recolhimento de quantias para o Fundo Municipal de Assistência Social. “São mais de duas mil famílias que serão beneficiadas com o vale-alimentação”, afirmou Dini, lembrando que houve uma suspensão do pagamento às famílias, por desacordo com a lei vigente.

Comércio de cabos

O Projeto de Lei nº 303/2018, de autoria do vereador Anselmo Neto (PSDB), foi aprovado, criando novas regras para o licenciamento de empresas do ramo de sucata, ferro-velho, desmanche e congêneres, com o objetivo de coibir os furtos de cabos e fios de cobre e alumínio no município.

O autor reforçou que se trata de um problema sério no município, que atinge, inclusive, muitas escolas, e que seu projeto apenas adequa a Lei 8.693, de 30 de março de 2009, que trata da matéria. As alterações proíbem a comercialização dos produtos sem comprovação de origem e determina o registo de mercadorias, compradores e vendedores.

Ainda em primeira discussão, foram aprovados dois projetos de autoria da vereadora Iara Bernardi (PT) começando pelo Projeto de Resolução nº 18/2018, que cria a Frente Parlamentar para a Cidadania das Pessoas Portadoras de IST/HIV/AIDS e das Hepatites Virais. “São vereadores que irão trabalhar na causa”, explicou a autora, destacando que o projeto é uma reivindicação de entidades que atuam na área. A Frente Parlamentar realizará reuniões bimestrais, de caráter público.

Também da vereadora foi aprovado o Projeto de Lei nº 312/2018 que, segundo a própria autora, partiu de um pedido da Secretaria de Habitação e Regularização Fundiária, visando ampliar suas ações na regularização de imóveis no Parque Vitória Régia. Iara Bernardi defendeu o projeto que, segundo ela, irá beneficiar famílias em área de risco e não apenas em caso de alagamento, inclusive de outros bairros.

E, também em primeira discussão, foi aprovado o Projeto de Lei nº 307/2018, de autoria do vereador Hudson Pessini (MDB), que obriga os estabelecimentos comerciais relacionados ao comércio de produtos e prestação de serviços para animais domésticos a disponibilizar em suas dependências, de forma visível, uma placa ou cartaz informando que praticar maus-tratos contra animais é crime, além de fornecer um número de telefone para denunciar os casos do gênero. A proposta foi defendida pelo autor e por João Donizeti (PSDB) que ressaltou a importância da fiscalização de crimes ambientais pela sociedade civil.

Encerrando a lista de projetos aprovados, estão oito Projetos de Decreto Legislativo sobre concessão de títulos honoríficos, acatados em votação única, e três projetos de denominação de vias, aprovados em discussão única.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Homem é preso por tráfico e receptação no Júlio de Mesquita; PM recebeu denúncia

Ator Rafael Miguel foi morto com sete dos 13 tiros disparados pelo assassino

Iguatemi Esplanada tem Gourmet Market

Inscrição para feira de adoção de filhotes acontece na próxima semana

Uso de simulador para obtenção de CNH será facultativo

Mesmo sem horário de verão, celulares atrasam relógio em uma hora