Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Câmara anuncia corte de R$ 520 mil, mas redução de salários ainda está fora da pauta

Secom / Câmara Municipal
Postado em: 26/05/2020

Compartilhe esta notícia:

A Mesa Diretoria da Câmara Municipal de Sorocaba anunciou hoje (26) o corte de R$ 520 mil em contratos até o fim do ano, gerando uma economia que poderá ser devolvida à prefeitura e utilizada na área da saúde. A Câmara, porém, ainda não pautou nenhum projeto sobre a redução dos salários dos parlamentares, prefeitura e secretários.

De acordo com o presidente do Poder Legislativo sorocabano, vereador Fernando Dini (MDB), nas últimas semanas a Secretaria de Gestão Administrativa desenvolveu estudos e fez a análise de todos os contratos firmados e/ou previstos, chegando ao valor de R$ 520 mil.

"O momento é de se cortar todos os gastos possíveis como já estamos fazendo há meses e direcionar o máximo de recursos para a área da saúde. O período é delicado, principalmente em relação ao combate à COVID-19, onde os vereadores sempre tiveram esse entendimento de auxiliar o Poder Executivo", cita.

Dini ainda ressalta que além de enxugar as despesas, a Câmara Municipal também já antecipou a devolução de R$ 1 milhão ao Poder Executivo, em março, com a indicação para que seja utilizado no combate ao Coronavírus e deixou à disposição todos os veículos da frota para que fossem utilizados também na luta contra a pandemia. "Sorocaba hoje precisa dessa união e soma de esforços. Seguimos em parceria com a administração municipal para que a prestação de serviço chegue ao sorocabano da melhor forma, mas nunca deixando de fiscalizar e cobrar o bom uso do dinheiro público".

O presidente da Câmara Municipal, inclusive, sugeriu à prefeita Jaqueline Coutinho para que promova os mesmos estudos no Poder Executivo, com o objetivo de cortar o maior número de gastos possíveis, podendo direcionar essa economia para às necessidades emergenciais, como o combate à COVID-19.

Redução de salários

A solicitação da prefeita Jaqueline Coutinho para a redução do salário dela como dos secretários municipais, bem como a possível redução dos salários dos vereadores foi encaminhada ao Ministério Público Eleitoral, acerca de eventuais implicações da aprovação da redução em ano eleitoral.

Segundo apurou o IPA Online, a preocupação dos vereadores é que a medida seja contestada judicialmente e haja prejuízos eleitorais aos parlamentares que aprovarem a medida. A lei eleitoral veda aos agentes públicos em ano eleitoral, especialmente sobre a proibição de assistencialismo eleitoral e distribuição gratuita de bens, valores e benefícios por parte da administração pública.

Deste modo, os vereadores, que em sua maioria serão candidatos nas eleições de 2020, temem ser acionados pela Justiça. Ainda não há previsão que o projeto entre em pauta no Legislativo.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Lava Jato denuncia José Serra por lavagem de dinheiro; PF deflagra Operação Revoada

Alckmin intensifica críticas a Bolsonaro e é derrubado por crianças em creche

Após ação do Facebook sobre fake news, Bolsonaro diz ser vítima de perseguição

Bolsonaro sabia da compra de vacinas, mas recuou após pressão de apoiadores em redes sociais

Sorocaba flexibiliza uso de máscaras para autistas e pessoas com outras deficiências

Mãe é presa após tentar jogar carrinho de bebê com a filha de 7 meses na frente de carros em avenida