Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Botão do Pânico registra 50 atendimentos por descumprimento de medida protetiva

Postado em: 16/10/2018

Compartilhe esta notícia:

O Centro de Referência da Mulher (Cerem), órgão administrado pela Secretaria de Igualdade e Assistência Social (Sias), divulgou que, somente neste ano, foram registrados 50 atendimentos às vítimas que denunciaram, por meio do Botão do Pânico, situações de descumprimento de medidas protetivas. Além disso, neste período, ocorreram sete prisões de agressores e 11 conduções para a delegacia.

O Botão do Pânico é um sistema – criado em fevereiro deste ano – que garante auxílio e segurança às mulheres vítimas de violência doméstica. Até o momento, 142 mulheres estão cadastradas no aplicativo. Toda sorocabana que obter uma medida protetiva pelo poder judiciário terá o direito de se cadastrar gratuitamente.

Para ter acesso à plataforma, a mulher deve procurar o Cerem munida de sua medida protetiva e de seu aparelho de celular para que possa receber todas as orientações sobre sua participação no programa. Feito isso, a vítima poderá apertar o botão na tela do seu próprio celular caso o agressor descumpra a decisão do juiz. Ao fazê-lo, um aviso será enviado imediatamente ao Centro de Operações e Inteligência (COI), da Guarda Civil Municipal (GCM), com a localização da vítima.

O Cerem presta, gratuitamente, atendimento interdisciplinar especializado e contínuo às mulheres acima de 18 anos e residentes em Sorocaba. O atendimento ocorre de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. A unidade está localizada na avenida Juscelino Kubitschek, 440, no Centro, próximo à Rodoviária.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Maia vê urgência em PEC que reduz despesas e defende aprovação ainda neste ano

Qual é o impacto do teste positivo de Trump para Covid-19 nas eleições dos EUA?

Twitter lança ferramenta de combate à violência doméstica

ONU retira maconha da lista de drogas mais perigosas; Brasil votou contra

Morre Francisco, pai de Zezé Di Camargo e Luciano, aos 83 anos

BH diz ter caso suspeito de coronavírus, mas Ministério da Saúde diz que é alarme falso