Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Bolsonaro sanciona lei que institui carteira nacional do autista

Postado em: 09/01/2020

Compartilhe esta notícia:

O presidente Jair Bolsonaro sancionou na quarta-feira (8) a lei que institui a Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista, de expedição gratuita. Com o documento, essa população passa a ter prioridade de atendimento em serviços públicos e privados, em especial nas áreas de saúde, educação e assistência social. 

O Projeto de Lei (PL) 2.573/2019, que criou a carteira, foi aprovado pelo Congresso Nacional no dia 11 de dezembro do ano passado. A proposta foi apresentada pela deputada federal Rejane Dias (PT-PI) e alterou dispositivos da Lei 12.764, de 2012, que instituiu a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista. 

O PL ficou conhecido como Lei Romeo Mion, que é portador de autismo e filho do apresentador de TV Marcos Mion, um dos principais entusiastas da medida. Em postagem divulgada no Twitter  para informar a sanção do projeto, o presidente Jair Bolsonaro aparece em foto ao lado do apresentador e da primeira-dama, Michelle Bolsonaro. 

"Sancionada hoje a Lei 13.977 (Romeo Mion), que cria Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (Ciptea). A referida carteira é gratuita e garante prioridade nas áreas de saúde, educação e assistência social", escreveu Bolsonaro. A sanção deverá ser publicada na edição desta quinta-feira (9) do Diário Oficial da União. (Agência Brasil)

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Venezuelanos vivem cotidiano de fome, preconceito e violência em Roraima

Nomes de Conselheiros Tutelares eleitos são divulgados; confira os escolhidos por voto direto e facultativo

Polícia procura criminoso que invadiu, vandalizou e furtou 4 comércios no Centro

Discussão em posto de combustíveis em Votorantim termina com PM baleado

Prefeitura de Sorocaba abre cadastro para feira de adoção de filhotes na terça-feira

Previdências nos estados têm rombo de R$ 1,12 milhão por servidor