Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Bolsonaro inclui indústrias e construção civil na lista de atividades essenciais

Pedro Ladeira / Folhapress
Postado em: 07/05/2020

Compartilhe esta notícia:

Daniel Carvalho e Gustavo Uribe, da Folhapress

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ampliou a lista de serviços essenciais durante a pandemia do novo coronavírus, atendendo a demanda de empresários que se reuniram com ele na manhã desta quinta-feira (7).

Além da construção civil, que ele havia anunciado mais cedo, o presidente incluiu, em edição extra do "Diário Oficial da União", mais três categorias: atividades industriais, setor de produção, transporte e distribuição de gás natural e o ramo químico e petroquímico de matérias-primas, bem com de produtos de saúde, higiene, alimentos e bebidas.

Com a inclusão na relação, as atividades econômicas passaram a ser autorizadas a funcionar mesmo diante das restrições de circulação determinadas por estados e municípios. Na semana passada, Bolsonaro já havia incluído na relação treze serviços, entre eles a locação de veículos, o comércio de produtos de higiene e alimentação e o transporte de carga.

Bolsonaro tem igualado a crise sanitária do coronavírus -que já matou 8.536 pessoas no Brasil - à crise econômica. Desde o início da pandemia, ao menos 5 milhões de trabahadores com carteira assinada no país foram afetados, seja por demissão, seja suspensão de contrato, seja corte de jornadas e salários.

O presidente defende a flexibilização do isolamento social e a reabertura do comércio. Nesta quinta-feira (7), em uma tentativa de pressionar pela retomada da atividade econômica, Bolsonaro levou um grupo de empresários ao STF (Supremo Tribunal Federal).

O encontro, realizado com o presidente José Dias Toffoli, foi de surpresa, não estava na agenda oficial e gerou um constrangimento ao ministro. A avaliação na corte foi de que Bolsonaro quis dividir com o Judiciário o ônus da crise.

Durante a visita, um dos integrantes do grupo de empresários chegou a comparar a situação da indústria com os efeitos da Covid-19 na saúde. Ele disse que haverá mortes de CNPJs (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas).

Nesta quarta-feira (6), o Brasil bateu novo recorde de óbitos diários, com 615 novos registros de mortes, segundo o Ministério da Saúde. Ao ouvir as demandas, Toffoli cobrou coordenação do governo com os Poderes e os entes da Federação.

Apesar de Toffoli ter afirmado que é necessário fazer um planejamento para a volta do funcionamento das indústrias, Bolsonaro autorizou, por meio do decreto, que elas voltem a operar a partir desta quinta-feira (7).​

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Em perseguição, polícia atropela seis pessoas em baile funk de São Paulo, dizem moradores

Com ajuda de cão farejador, polícia apreende armas e munições em Itu

Bolsonaro defende indicado e nega que Kassio Nunes votou contra deportação de Battisti

Votorantim tem baixa adesão de gestantes e crianças em campanha de vacinação contra a gripe

‘Livro ajuda mulher a atingir orgasmo’, diz best-seller em literatura erótica

Maia defende Marco Aurélio e culpa Ministério Público por soltura de chefe do PCC