Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Bate-boca entre vereadores interrompe apresentação de delegado seccional

Postado em: 19/02/2019

Compartilhe esta notícia:

A sessão da Câmara Municipal desta terça-feira (19) começou com clima bastante acalorado no Legislativo. Um bate-boca entre os vereadores Irineu Toledo (PRB), Rodrigo Manga (Dem) e Francisco França (PT) e Fernando Dini (MDB) chegou a interromper até a fala do delegado seccional de Sorocaba, Marcelo Carriel, que fazia uma apresentação sobre os números da polícia civil na cidade.

A discussão começou após o pedido de Manga para que o presidente do Legislativo, Fernando Dini (MDB), pautasse o projeto de resolução de autoria dele, 01/2019, que permite que qualquer vereador peça a retirada de projetos de pauto que tenham origem do Executivo, o que hoje é ato exclusivo do líder do prefeito, no caso o vereador Irineu Toledo. Manga aproveitou a palavra e criticou o que chamou falta de respeito da Prefeitura em não participar das discussões da Casa, como as audiências públicas desta segunda-feira (18).

“Foi um desrespeito com vossa excelência ontem (na ausência da secretária da Saúde na audiência pública). Eles mandaram o Carlão (Carlos Mendonça, chefe de gabinete). Eu gosto do Carlão, mas o Carlão… Ele não entende de saúde. Não permita isso senhor presidente”, comentou o vereador.

Dini repreendeu o colega, que não compareceu na audiência pública. “O senhor podia estar presente no dia de ontem e deveria ter se manifestado no momento oportuno”, disse Dini. Em outro momento, Dini voltou a dizer que o vereador estava exagerando. “O senhor vire sua artilharia para outro lado, não para mim. Eu defendo a independência dos poderes”, salientou Dini.

O líder do prefeito, Irineu Toledo (PRB), tomou a palavra para falar que Manga tem intenções eleitorais para fazer ataques sistemáticos ao prefeito. “Nós vivemos hoje em Sorocaba a situação com uma oposição irresponsável que visa o caos, o quanto pior melhor. São atitudes populistas para tentar ganhar adeptos, que é o que está acontencendo”, afirmou Irineu.

“Da última vez que a gente trouxe o secretário aqui, ele foi atacado pelos vereadores. Se eu fosse secretário, eu não vinha também. Por que eu sendo secretário eu viria em uma reunião que só tem oposição e ninguém quer ouvir o que eu tinha a falar”, disse Irineu.

O vereador do PRB disse que a política é rasteira. “Manga é o mensageiro do caos, com vistas na eleição do ano que vem. Estamos vivendo um momento de política rasteira, ao ponto da vereadora Iara Lula afirmar aqui que eu sou um péssimo líder, que só arrumo brigas, que não contribuo. Quem seria um exemplo de líder? O Genoíno, o Zé Dirceu? Eu quero saber qual é o líder que esses vereadores indicam. Alguém que tenha ligação com a corrupção como o maior caso de corrupção da história da humanidade como o PT fez. O modelo de líder que eles gostam é aquele que vem com uma mala. O líder do prefeito apresenta o projeto e eles votam”, cutucou Irineu.

Ele foi interrompido por França. “Traz a Tati Polis para discutir o projeto. O senhor tem é que respeitar o partido, parar de falar besteira, e fazer seu trabalho”, gritou França ao lado de Irineu. Os vereadores se aproximaram bastante e com dedo em riste seguiram discutindo.  “Não, traz o Lula, o Dirceu, o Genoíno”, retrucou o líder do prefeito.

Manga respondeu Irineu dizendo que vereadores da base estavam presentes na audiência, sendo interrompido por Dini. “Peço que o senhor colabore com a sessão”. Manga interrompeu o discurso.

Irineu provocou o colega para dizer que vai apresentar um projeto de lei, visando derrubar o salário dos vereadores para R$ 7 mil, questionando se o colega do Dem votaria a favor do projeto.

O presidente Fernando Dini convocou então o delegado seccional para fazer sua apresentação, enquanto o vereador Renan Santos (PCdoB) fazia suas homenagens. Ao iniciar sua apresentação, Marcelo Carriel foi interrompido pela discussão entre os vereadores, que continuou no plenário.

O parlamentar Anselmo Neto (PSDB) pediu a palavra para se desculpar com o delegado. “Infelizmente o Legislativo não é organizado como a polícia civil. Apesar da falta de educação, tem gente aqui disposta a ouvir o senhor e também na TV Legislativa”, afirmou o vereador. O delegado seguiu a apresentação e o bate-boca diminuiu.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Vacina contra a gripe acaba em UBS’s; não há previsão de reposição em Sorocaba

Dois homens e uma mulher são presos em flagrante por tráfico de drogas em Tietê

Moradores que invadiram área particular entram em confronto com proprietário

Com medo de atraso, inscritos no Enem chegam até 3 horas antes da prova

Secretaria de Saúde realiza 2º ação de combate às hepatites no Poupatempo

Criança é socorrida com ferimentos leves após colisão entre carro e moto