Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Bandidos invadem escola municipal e afrontam em pichação: ´polícia dorme´

Foto: reprodução
Postado em: 05/08/2020

Compartilhe esta notícia:

Uma escola municipal localizada no Conjunto Habitacional Ana Paula Eleutério foi alvo de invasão, furto e vandalismo nesta noite de terça-feira (4). Os criminosos ainda picharam as paredes da unidade com as palavras ´polícia dorme´. 

 

Veja mais fotos abaixo

 

A escola invadida foi a “Prof. Ana Cecilia Falcato Prado Fontes”. Imagens mostram armários revirados e latas de tinta em spray espalhadas pela unidade. Aparelhos eletrônicos foram furtados pelos bandidos. 

 

Os vândalos picharam também vidros da escola. 

 

 

O Ipa Online pediu para a Prefeitura de Sorocaba uma nota a respeito do caso e aguarda posicionamento da mesma. 

 

Mais informações a qualquer momento.

174826c8-530a-4be3-8816-0fe728ed8fb4 19fd4407-1245-4fab-9641-b28d0650d7a3 e04ede0c-c956-4a28-b63b-ba75a8ce5446 f6e666c6-a53e-4395-8437-e24ea2d8b8a7

 

Reforço na segurança das escolas

 

A prefeita de Sorocaba Jaqueline Coutinho (PSL) explicou o projeto "Protege Escola" durante entrevista na Jovem Pan Sorocaba, na semana passada.

 

Conforme Jaqueline, a ideia, a princípio, é de colocar servidores municipais como vigias das escolas e creches para coibir esses crimes. Para isso, a prefeitura está estudando se pode deslocar o servidor a essa função. "Caso não possam, iremos terceirizar o serviço", destacou.


A prefeita explica como funcionaria o serviço de vigilância: "o vigia ou terceirizado vai ter um aparelho celular, um aplicativo. Se tiver qualquer movimento suspeito, a viatura mais próxima vai atender o chamado, parecido com o antigo Botão do Pânico, chamado hoje de Protege Mulher", esclareceu ela. 


Questionada sobre colocar um Guarda Civil Municipal em cada uma das 166 escolas municipais, a prefeita respondeu que não tem efetivo para tal ação. "Não seria possível porque se a gente faz isso, colocamos outras ações de patrulhamento em uma situação vulnerável. A figura do vigia, de segurança é a que mais se adequa".


Em reunião com os respectivos titulares, Wanderley Acca e Marcelo Carriel, a prefeita pediu para que se viabilize a utilização de servidores municipais num sistema de vigilância patrimonial das unidades escolares fazendo com que os espaços, cotidianamente, contem com a presença de duas pessoas durante as noites e, aos finais de semana, as 24 horas do dia. "E isso não é pra hoje. É pra ontem", disse Jaqueline ao recordar os números apresentados pelo secretário Carriel de 143 ocorrências registradas contra escolas, entre invasões, furtos e  danos ao patrimônio.


A medida, segundo a prefeita, será a imediata, justamente, pela possibilidade que há de contar com servidores nesses espaços. Na sequência deve vir a contratação de um serviço de alarme, vídeo-monitoramento e vigilância em, pelo menos, 40 unidades. Neste sentido, foi solicitada a elaboração de um termo de referência para que se possa avançar em um processo licitatório. "Nós vamos ter que reprimir todas essas ocorrências. Não é possível que a população fique sofrendo ainda mais com a criminalidade. Não é só a prefeitura que perde. É cada cidadão que precisa por seu filho na escola, que depende do município para cuidar de suas crianças e vê todo um trabalho, literalmente, jogado ao chão", desabafou.


Protege Escola


Já em estruturação, este programa recebeu o nome de "Protege Escola" e a permanência de servidores públicos nas escolas deveria ocorrer em sistema de rodízio a partir dessa semana. Os locais onde os profissionais ficarão não será divulgado enquanto estratégia de trabalho. Cada servidor contará com um telefone celular onde, por meio de aplicativo, poderá solicitar o auxílio da Guarda Civil Municipal (GCM) imediatamente.


De acordo com Jaqueline Coutinho, seu funcionamento se dará nos moldes do aplicativo de proteção à mulher cuja resposta da GCM é muito efetiva. "O servidor aciona o botão e a viatura que estiver mais próxima dá assistência", completou Carriel,  lembrando que a chamada entra sempre pelo Centro de Operações Especiais e Inteligência (COEI) que comanda às viaturas em serviço pela cidade.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Mulher dedica o dobro de horas para afazeres domésticos que o homem, aponta IBGE

Um em cada três casos de violência sexual em São Paulo é de vulnerável

Anestesiologista Alberto Miguel Saker, o ‘doutor Tito’, morre aos 86 anos

Vereadora denuncia déficit de médicos e falta de sala de esterilização de instrumentos no Samu

Dez anos após vazamento do Enem, nenhum envolvido em roubo foi preso

Aplicativo Zona Azul Sorocaba tem mais de 21 mil usuários cadastrados