Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Assassino de técnica de enfermagem é condenado a 18 anos de prisão; crime ocorreu em Sorocaba

Foto: reprodução
Postado em: 18/11/2020

Compartilhe esta notícia:

A Justiça condenou, nessa última terça-feira (17), a 18 anos de prisão, Alysson Raszejas, 40 anos, namorado da técnica de enfermagem Kelly Christina Parreira, 40 anos, encontrada morta em um condomínio localizado na Zona Oeste, em Sorocaba, ano passado. 


Raszejas foi condenado em júri popular. Conforme entendimento da Justiça, o autor praticou homicídio por meio cruel, com motivo torpe, sem possibilidade de defesa da vítima, além de feminicídio. 

Kelly foi achada sem vida em 4 de julho de 2019. Ela apresentava lesões o no pescoço. À polícia, Raszejas confessou ter matado a companheira por ciúme.


Logo após ter cometido o crime, Raszejas fugiu para o Paraguai, mas decidiu voltar para o Brasil após ser assaltado. Ele foi preso pela polícia na rodoviária de Itapetininga 6 dias após o homicídio. Com ele também foram encontrados os cartões de banco da vítima. 


Uma carta localizada sobre o corpo de Kelly teria sido escrita por Raszejas. Nela, ele relata que a vítima “mantinha uma conversa com ex com perfil de aplicativo de encontro”.


O acusado já possuía histórico de praticar violência doméstica. Uma ex-esposa de Raszejas adquiriu na Justiça medida protetiva após ter sofrido agressões cometidas por ele. Segundo relatos de testemunhas, Kelly também era agredida pelo companheiro.

 

O caso


Kelly foi encontrada morta depois de ficar dois dias sem responder mensagens e atender ligações telefônicas. Preocupada, a mãe da vítima foi até o condomínio que a filha mora, no Jardim Tropical em Sorocaba, para saber o que havia acontecido. A técnica de enfermagem foi achada morta no dia 4 de julho de 2019. Ela estava deitada na cama e apresentava lesões no pescoço. Seu corpo estava parcialmente coberto e uma carta de Raszejas justificando o crime foi encontrado no local do crime. 

 

A delegada responsável pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sorocaba, Luciane Regina Bachir, informou que familiares e amigos da vítima prestaram depoimento à polícia e relataram que Kelly sofria agressões. “Tem relato sim, de agressão física, ameaças praticadas pelo companheiro”.

 

A carta


Raszejas deixou uma mensagem justificando o crime e a colocou em cima do corpo de Kelly antes de fugir. Cita a carta: “Fizemos tudo um pelo outro. Pensei que fosse sincero ‘mais’ conversando com ex…. E com perfil de aplicativo de encontro. Não suporto isso. Trabalhamos como doidos e olha o que deu”.

 

47ce9aaa-carta

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

GCM prende procurado pela Justiça após invasão em escola municipal de Sorocaba

Anitta volta às redes sociais após uma semana e diz: as pessoas estão loucas

Tribunal de Contas veta que governo anuncie em site que promove ilegalidade

Os livros da Cida Almeida em lançamento nacional - veja a coluna semanal de Vanderlei Testa

Prefeitura de Sorocaba buscará vacinar profissionais da educação contra covid até março, diz secretário

Secretário da Educação de SP deixa UTI após Covid-19