Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Após denúncia, Saae alega que tomará medidas contra refeições de má qualidade

Postado em: 19/09/2018

Compartilhe esta notícia:

O Saae Sorocaba informou, na manhã desta quarta-feira (19), que irá tomar providências quanto à denúncia feita pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, referente à qualidade das refeições entregues aos funcionários da autarquia.

Por meio de nota, o Saae se disse “insatisfeito com o atraso na distribuição dos lanches, que deveria ter iniciado por volta das 22h na segunda-feira. A entrega do alimento ocorreu, porém a partir da madrugada de terça-feira”. Além disso, alegou que a situação ocorreu no passado e foi corrigida, e quanto ao atraso na distribuição do lanche para 16 os profissionais na noite da segunda-feira, tomará as providências cabíveis e previstas no contrato com a terceirizada

Nesta terça-feira (18), o SSPMS divulgou nas redes sociais o caso e informou que a empresa contratada para fornecer as refeições chegou a entregar marmitas com mosca, feijão com caruncho, frutas podres e excesse de salsicha, segundo o sindicato, para substituir carne. Por conta do episódio, o Sindicato afirmou tomar as devidas ações judiciais cabíveis junto ao Ministério do Trabalho, Vara da Fazenda Pública e Ministério Público.

Por meio de nota, a autarquia informou que “são em 16 o total de trabalhadores que atuam no Centro Operacional e precisaram aguardar por mais tempo. Essa situação não havia ocorrido anteriormente. O direito ao lanche é garantido aos trabalhadores que chegam às 21h para o terceiro turno. Todos os profissionais do terceiro turno que atuam nas outras unidades, como nas estações de tratamento de água ou estações de tratamento de esgoto receberam o lanche no horário habitual.

A direção do Saae-Sorocaba está ao lado de seus colaboradores e adotará as medidas cabíveis, previstas em contrato, em face dos responsáveis pela situação. O atraso foi em decorrência da falta de um profissional pertencente ao quadro da empresa contratada para preparar e fornecer a alimentação. Na mesma noite a empresa acionou outro profissional para que fosse garantida a entrega da alimentação.

As demais denúncias que começam a ser distribuídas pela internet são fatos ocorridos no passado e já foram corrigidos. A fiscalização do Saae-Sorocaba notifica e exige correções das faltas, quando são cometidas. As obrigações do Saae-Sorocaba para com a empresa que prepara e serve a alimentação estão e sempre estiveram rigorosamente em dia.”

De acordo com o Portal da Transparência, a empresa contratada para servir as refeições aos servidores, a Especialy, foi contratada pela Prefeitura de Sorocaba em maio de 2017 para prestar o serviço de fornecimento de marmitas pelo valor total de R$ 7.948.850,40. O contrato tem a duração de dois anos, ou seja, encerra-se em maio de 2019, sendo que já foi repassado à fornecedora um montante de R$ 2.900.561,97.

A empresa Especialy Terceirização Eireli, responsável pelo fornecimento de refeições e marmitex – as conhecidas ‘quentinhas’ – aos funcionários do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), refutou as denúncias veiculadas pelo Ipa Online do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba (SSPMS), que acusou, via Facebook, a empresa de fornecer alimentação à autarquia com moscas, frutas podres, feijão com caruncho e trocar carne por salsicha.

Por meio de nota, a empresa afirma “que empreendeu e empreende máximos esforços para adimplir corretamente todas as obrigações assumidas, através de uma equipe técnica altamente capacitada e treinada, com o fornecimento de gêneros alimentícios que atendam às necessidades de nutrição elencados pelo órgão contratante”.

Segundo a empresa, “a questão da denúncia ventilada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba jamais chegou ao conhecimento da empresa, para que esta pudesse apurar os fatos e verificar a realidade fática, através de análises, laudos e outros instrumentos hábeis, uma vez que todas as refeições fornecidas obedecem um rigoroso controle de qualidade e, ainda, todas as normas sanitárias, não sendo crível que as ocorrências descritas na referida denúncia derivaram da conduta ou omissão desta empresa”.

A empresa salienta, também, ademais, que “da análise das fotos apresentadas na reportagem pode-se concluir que não se trata de refeição fornecida por esta empresa, já que os cardápios são acordados entre as partes (contratante e contratada), sendo que os funcionários do referido serviço tomam suas refeições de duas formas distintas: no restaurante coletivo da sede e entregues em marmitex através de hot box, para os funcionários que laboram fora da dependência administrativa, sendo que na primeira situação, o funcionário escolhe a proteína (carne bovina e/ou carne suína e/ou peixe e/ou embutidos) e na segunda são disponibilizadas ao menos duas proteínas, obedecendo as disposições do cardápio previamente acordado”.

Por fim, a Especialy “reitera seu compromisso na qualidade dos serviços prestados, se disponibilizando para registrar todos os procedimentos adotados na operacionalização dos serviços, registrando que adotará as providências cabíveis para apuração e responsabilização dos agentes envolvidos no citado caso”.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Volta de Crespo pode ser julgada por Gilmar Mendes em plena pandemia de coronavírus

Em 10 dias, queimadas destroem vegetação e mudam paisagem no interior

Gaeco dispara: "Crespo comandava quadrilha dentro da prefeitura"; assista o vídeo

Após ser ameaçado, idoso mata filho e é liberado pela polícia em Itapetininga

Bolsonaro e Guedes dizem a ministros do STF que economia está "começando a colapsar"

Mulher é presa após ser flagrada com mais de 2,4 mil munições em ônibus na Castello