Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Após anunciar namoro com menina de 12 anos, tiktoker volta atrás: ‘Era trolagem’

Jovem Pan News
Postado em: 26/10/2020

Compartilhe esta notícia:

Jovem Pan News

Após o caso do tiktoker Pietro Riguengo, de 19 anos, namorando um criança de 12 se tornar um dos assuntos mais comentados do Twitter na manhã desta segunda-feira, 26, o “casal” utilizou o TikTok para negar a relação. “Como vocês acreditaram nisso?” diz a menina. “Era uma trollagem, gente”, afirma Riguengo. O perfil feito para o casal na rede social já contava com 1,3 milhões de seguidores, mas foi banida da plataforma devido a “várias violações de Diretrizes da Comunidade”. No vídeo desmentindo a relação, Riguengo afirmou que todo mundo que segue o canal sabe que os dois têm uma “relação de irmão”. “A gente não achou que ia ter tanta coisa, porque a gente respondeu [que era trollagem] e eu acho que eu tinha publicado um stories antes avisando”, disse a menina. “Os famosos que falaram da gente… juro, vocês estão certos, mas a gente não estava namorando mesmo, era só zoeira mesmo”, completou. “Amizade 100%”, ressaltou o Tiktoker.

A conta foi derrubada nesta segunda-feira

Os dois, no entanto, confirmaram a relação em um vídeo anterior. “Estamos, sim, namorando”, respondeu a menina a um seguidor. “Nossos pais sabem e autorizam nosso namoro”, completa. “Eu estou 100% ciente do tempo da * e vou respeitar muito isso”, diz Pietro. A própria mãe da garota confirmou, publicando em suas redes que os dois “são figuras públicas” e que a família já estava preparada para o ataque. “Mas… para quem gosta da gente fiquem tranquilos! Eles estão muito bem e mais felizes que nunca”, completou a mãe da criança. Os dois já se beijaram em vídeo. As mães estavam presentes.

Repercussão

O caso indignou os usuários do Twitter. “Pedofilia não é opinião. Não existe relação consensual entre um homem de dezenove anos e uma criança de doze. É crime, não é amor”, diz um. “Mesmo que a pessoa diga que quer, faça declarações oficiais ou, até mesmo, comunique aos pais seu desejo, não é permitido, por lei e caracteriza abuso. Havendo relações sexuais, é estupro de vulnerável”, comenta outro. Consta na súmula nº 593 do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que “para a caracterização do crime de estupro de vulnerável, previsto no artigo 217-A do Código Penal, basta que o agente tenha conjunção carnal ou pratique qualquer ato libidinoso com pessoa menor de 14 anos. O consentimento da vítima, sua eventual experiência sexual anterior ou a existência de relacionamento amoroso entre o agente e a vítima não afastam a ocorrência do crime”. A Jovem Pan entrou em contato com o Ministério Público de São Paulo e aguarda informações sobre as denúncias do caso.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Concessionária BRT apresenta novas etapas da obra à Prefeitura; sistema começa operar neste ano

Justiça proíbe INSS de punir médicos que não retornaram

Saúde de Sorocaba nega precipitação em reabertura do comércio em sabatina aos vereadores

Prefeitura do Rio de Janeiro suspende todos os pagamentos

Facebook restringe transmissão ao vivo para quem violar regras

Bandido furta carro com bebê de 1 ano dentro do veículo