Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Anvisa regulamenta suplementos alimentares e empresas precisam se atualizar

Postado em: 12/09/2018

Compartilhe esta notícia:

Nos meses de julho e agosto, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) regulamentou a criação de uma categoria de suplementos alimentares no Brasil, que eram, até então, comercializados e distribuídos como produtos alimentícios para atletas. Diante das novas regras de qualidade, composição, rotulagem e segurança, as empresas já existentes no mercado terão até 2023 para se adequar às normas.

Segundo a Anvisa, a mudança tem o intuito de melhorar o acesso dos consumidores aos produtos de qualidade e facilitar o entendimento quanto a informações que atualmente não possuem um padrão, além de fortalecer a fiscalização da categoria especialmente no âmbito de alegações sem comprovação científica.

A nutróloga Patrícia Savoi afirma que a mudança é fruto da maior preocupação da população com a sua saúde e que os benefícios dela incluem a redução das informações erradas e a maior segurança em relação aos produtos. “Estamos cada vez mais discutindo a alimentação e cuidando da nossa saúde, então temos uma maior busca por essas informações e um grande aumento do uso de suplementos por parte dos que se preocupam com seu bem-estar. Se tratando dos suplementos, a oferta é grande, mas as informações nutricionais nos rótulos das embalagens geralmente são imprecisas ou não são claras e é por isso que a Anvisa decidiu regulamentar o setor”, afirma a nutróloga.

Patrícia também comenta a ideia de que suplementos alimentares são indicados somente para aqueles que fazem musculação. “Na verdade, temos que ter em mente que os suplementos são compostos por outros nutrientes e não somente por proteína, pois essa sim é muito relacionada aos praticantes da musculação, porém sua utilidade vai muito além disso e não deve ser temida. Proteínas podem ser utilizadas por pacientes que passam por grandes cirurgias, como a bariátrica, pacientes desnutridos, idosos, entre outros”, garante a especialista.

Perante às novas regras, algumas empresas já estão dando início a regularização de produtos e embalagens, como é o exemplo da Wcup, empresa originária da Bélgica que tem sede em Porto Feliz/SP. O responsável técnico pela empresa, José Roberto Gomes Pinto comenta sobre essa nova fase do ramo de suplementos alimentares e faz comparações ao cenário na Bélgica em relação ao Brasil.

“A legislação brasileira é bastante conservadora, se comparada com a dos EUA e Europa, por isso a Wcup Brasil não comercializa alguns itens que fazem parte da linha da Wcup Bélgica, porém acreditamos que agora, com uma legislação especifica para suplementos nutricionais, poderemos apresentar e solicitar autorização para comercialização de vários produtos”, afirma José Roberto, que também comenta sobre os ajustes a serem feitos. “Estamos estudando o regulamento pois foi concedido as empresas que se adequem a legislação em até 60 meses, mas como já possuímos a comprovação de eficácia do produto e segurança das substâncias utilizadas esperamos que em três meses nossa situação esteja regularizada”, finaliza o responsável técnico.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Justiça decide por remoção de chimpanzé Black do Zoológico, mas Prefeitura recorre

Conselho Municipal de Política Cultural escolhe seus novos membros em Sorocaba

Vereador tem casa invadida por bandidos e família é feita refém 

Mulher engasga com pedaço de chocolate e é salva pela Guarda Civil Municipal em Sorocaba

“Pelo menos não é um bando de cachaceiros”, responde Bolsonaro a Lula

Caso da ex-assessora de Crespo faz Câmara abrir CPI; Vídeos e áudios motivaram investigação